Assinar Edições Digitais

Há dois novos pilotos portugueses de F16 entre o restrito lote de pilotos internacionais

Pilotos pertencem às esquadras de voo estacionadas na Base Aérea de Monte Real – 201 Falcões e 301 Jaguares.

Dois pilotos portugueses da Força Aérea Portuguesa (FAP) terminaram com sucesso o curso Fighter Weapons Instructor Training (FWIT), informou a Base Aérea nº5 (BA5).

O curso FWIT é conhecido pela exigência, sendo comparado ao famoso e difícil “Top Gun” da marinha norte-americana, acrescenta a BA5 numa publicação no Facebook.

O FWIT “tem por objetivo formar pilotos instrutores, para operar e para instruir no emprego tático da plataforma F16 MLU de forma eficaz e segura”, sendo considerado “como o melhor e mais exigente curso tático na Europa”, acrescenta a FAP.

Os dois pilotos certificados pertencem à Esquadra 201 Falcões e Esquadra 301 Jaguares, estacionadas na Base Aérea de Monte Real, acrescentando a mesma publicação da BA5 que a participação dos portugueses no FWIT – em que nunca nenhum português reprovou – “tem permitido à Força Aérea manter uma base de conhecimento e desempenhos de excelência na comunidade F16”.

Após cerca de seis meses de exigente trabalho, os dois pilotos da FAP receberam dia 14 de novembro o diploma de graduação e o desejado distintivo, numa cerimónia que decorreu na na base aérea de Leeuwarden, Países Baixos, informa o site Pássaro de Ferro, especializado em matérias relacionadas com a aviação. Além de Portugal, participaram no curso de 2019, denominado “Live and let Die”, as forças aéreas de Bélgica e Países Baixos.