Na última década fizeram vibrar milhares nos bares da região ao som do rock português. Foram muitos os concertos dos N’ASA em dez anos e este sábado é tempo de comemorar. “Ter o privilégio de fazer esta viagem com amigos que hoje considero família a fazer o que mais gostamos, rock português, tem sido fantástico”, conta o vocalista, Marco Pinheiro, um dos dois elementos que se mantém desde a fundação.

O grupo nasceu “da amizade e do gosto pela música”, especialmente rock nacional. Em palco, tocam temas de bandas portuguesas incontornáveis, como os Xutos e Pontapés, GNR ou Quinta do Bill. “À conta disso, foram muitas horas, muitas noites de diversão e conhecemos pessoas novas”.

Apesar do esforço – “tocar num bar requer estar lá às 18 horas para montar tudo e sair de lá às 5, 6 da manhã” – o balanço é positivo. “O feedback tem sido fantástico, com as pessoas a cantar as músicas connosco, músicas portuguesas dos anos 80 e 90. É fantástico ver as pessoas recordarem essas memórias e divertirem-se com nosso som”, frisa Marco Pinheiro.

E a partir daqui? “Queremos procurar novos desafios, mas sem nos esquecermos de onde viemos: somos um grupo de amigos que quer tocar em bares, próximo das pessoas”. A música já levou os N’ASA até Portalegre, por exemplo, e gostavam de tocar mais vezes fora de Leiria. Para o vocalista, ir à Queima das Fitas do Porto era “muito bom”, mas melhor ainda seria levar o rock português ao Canadá ou França. “Era giro tocar para os emigrantes”.

Atualmente os N’ASA são compostos por Marco Pinheiro (vocalista), Tiago Barbosa (guitarra), Hélder Brites (baixo), Kevin Mendes (teclas) e Hugo Bernardino (bateria).

Sábado, 14 de dezembro, há festa no Salão da Cruz da Areia, em Leiria, a partir das 21 horas, com música dos Garage 96, jovens talentos de Leiria e a presença de todos os fundadores. A fechar a noite, há música de Pê.