Assinar Edições Digitais

Reitor de Fátima: “A palavra de Deus não é vazia ou banal”

O reitor do Santuário de Fátima considerou, durante a missa da solenidade do Natal, que ao contrário de “tantas palavras que ouvimos”, a “palavra de Deus não é superficial, vazia ou banal”.

O reitor do Santuário de Fátima considerou durante a missa da solenidade do Natal, esta quarta-feira, 25 de dezembro, que ao contrário de “tantas palavras que ouvimos”, a “palavra de Deus não é superficial, vazia ou banal”.

O padre Carlos Cabecinhas, que presidiu à celebração na Basílica da Santíssima Trindade, em Fátima, explicou que “Jesus, o menino do presépio, vem até nós como a palavra definitiva de Deus”, que no Natal “faz-se próximo e fala-nos pelo seu próprio filho, Jesus Cristo”.

O reitor alertou, de seguida, para o facto desta palavra não ser “superficial, vazia ou banal, como são tantas palavras que ouvimos, Jesus Cristo é a palavra capaz de dar profundidade à nossa existência e dar sentido às nossas vidas”.

“O Natal é a festa da luz e Jesus é a luz verdadeira que ilumina a vida de cada pessoa para que não se perca o rumo e nos sintamos perdidos; em Jesus Cristo encontramos a luz capaz de guiar os nossos passos”, disse Carlos Cabecinhas.

Deixar que Cristo ilumine a vida de cada um “implica abandonar o egoísmo que nos centra em nós mesmos e nos torna indiferentes aos outros, às suas dificuldades e problemas; implica assumir atitudes de atenção e cuidado pelos outros, porque é assim que a luz que é Cristo ilumina a nossa vida”, adiantou o sacerdote.

“O grande desafio do Natal é não perdermos o essencial, façamos festa, alegremo-nos, mas, sobretudo, procuremos acolher nas nossas vidas Jesus, que é a palavra, a luz e a vida”, concluiu.