Select Page

Ministro da Administração Interna admite alterar proposta para videovigilância em Leiria

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse hoje que o Governo vai avaliar o parecer negativo da Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) à introdução de videovigilância nos municípios de Portimão e Leiria, admitindo introduzir alterações.

Segundo uma notícia de hoje da TSF, a CNPD emitiu um parecer negativo às propostas de instalação de um sistema de videovigilância com inteligência artificial nos municípios de Leiria e de Portimão (distrito de Faro).

“O parecer foi conhecido muito recentemente. Está a ser avaliado. O nosso compromisso, já reafirmado pelos presidentes da Câmara de Portimão e de Leiria, é que estes projetos são importantes para a segurança das populações e para a perceção da segurança”, afirmou esta manhã Eduardo Cabrita.

O ministro da Administração Interna, que falava aos jornalistas à margem de uma reunião com a ministra da Saúde, Marta Temido, em Lisboa, admitiu que após a avaliação poderão ser introduzidas alterações à proposta.

“O pedido foi o mesmo que tem sido feito para todas as cidades do país em que a videovigilância tem contribuído para aquilo que é essencial, a perceção e a realidade de sermos um país seguro”, sublinhou.

O sistema de videovigilância com inteligência artificial permite procurar pessoas com características físicas, sexo, cores das roupas ou do cabelo.

Também hoje, após a notícia do parecer negativo, o presidente da Câmara de Leiria defendeu que a legislação que enquadra a videovigilância deve ser adequada aos avanços tecnológicos.

“Os modelos de videovigilância evoluem, não podemos continuar a ter sistemas obsoletos”, afirmou Gonçalo Lopes, em comunicado.

Para Leiria, onde estão em funcionamento 19 câmaras de vigilância desde abril de 2018, foi solicitado o alargamento do sistema de segurança a outras zonas da cidade, “com o propósito de contribuir para a prevenção e repressão da prática de ilícitos criminais e de outros fatores de risco, nos moldes do sistema atualmente existente, que salvaguarda o respeito pelos direitos e liberdades pessoais”.

Atualmente, o sistema vigia uma zona central de Leiria, “com especial incidência no centro histórico da cidade de Leiria”, funcionando 24 horas por dia, sob gestão da PSP.

Lusa

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Primeira Página

Publicidade

Pergunta da Semana

A carregar

As autarquias deveriam aplicar coimas aos feirantes pelo lixo deixado no recinto dos mercados de rua?

Obrigado pelo seu voto!
Já votou nesta pergunta!
Selecione uma das opções!

Publicidade

Newsletter Região de Leiria

app repórter no mundo