Assinar Edições Digitais
Pombal

Misericórdia da Redinha incentiva utentes a aderir às novas tecnologias

Os utentes da Santa Casa da Misericórdia da Redinha estão cada vez mais familiarizados com as novas tecnologias. Prova disso é a implementação do sistema SiosLife, que lhes abre portas à internet de forma “simples e adaptada”.

Projeto visa a inclusão social  da população sénior através da informática Foto: SCMR

Os utentes da Santa Casa da Misericórdia da Redinha estão cada vez mais familiarizados com as novas tecnologias, prova disso é a implementação, desde o passado mês de dezembro, do sistema SiosLife, que permite aos mais velhos fazer videochamada, ver fotografias, ouvir música, ler notícias, enviar mensagens aos familiares, ou ouvir e rezar o terço.

Esta “é uma das 250 instituições do país que tem o sistema SiosLife”, cujo “principal objetivo é a inclusão social através da informática”, explicou Diogo Tristão, gerontólogo da empresa que desenvolve os sistemas, salientando que este equipamento “tem um conceito simples e adaptado para pessoas idosas”. O melhor é que “pode ser utilizado por todos, de forma autónoma, e mesmo que não saiba ler ou escrever”, revelaou.

Para o presidente da assembleia geral da Misericórdia da Redinha, Carlos Marcelino, este sistema tem “bastante interesse para os nossos utentes”, na medida em que vem “garantir que possam ter um contacto com a internet desenvolvendo algumas atividades” que “contribuem para o seu bem-estar”.

Durante a apresentação do “SiosLife”, Carlos Marcelino disse ainda esperar ser possível iniciar este ano a construção do um novo edifício destinado a um lar residencial, no que entende ser uma ambição legítima dos redinhenses.

Respondendo ao apelo do responsável, Ana Cabral, vereadora da Acção Social do Município de Pombal, esclareceu estarem “no bom caminho para a construção do novo espaço”, e aproveitou para anunciar que o projeto já se encontra “na fase de aquisição dos terrenos e de execução”, perspetivando que a ambição da Misericórdia da Redinha venha a ser “uma realidade pelo menos a médio prazo”.

Entretanto, na terça-feira, a Misericórdia da Redinha apresentou o Cuidar(-Te), projeto distinguido pelos Prémios BPI “la Caixa” 2019 Rural. Segundo a instituição, o projeto, que tem como público-alvo 30 cuidadores informais das freguesias da Redinha e Pelariga, com vista à sua capacitação e acompanhamento psicológico, e à criação de um banco de ajudas técnicas.

O apoio é prestado por uma equipa multidisciplinar composta por uma gerontóloga social , uma técnica de Serviço Social, uma psicóloga, uma enfermeira, uma nutricionista e uma assistente administrativa.

(Notícia publica na edição de 9 de janeiro de 2020 do REGIÃO DE LEIRIA e editada)