O Santuário de Fátima está a organizar as jornadas internacionais sobre “As crianças, a morte e o luto”, que reunirão especialistas de diferentes âmbitos e áreas de reflexão da sociedade civil e da Igreja, desde a educação à pastoral, sem esquecer a saúde.

As jornadas, abertas ao público em geral, mediante inscrição prévia, decorrem de 7 e 10 de maio, em Fátima, e debatem temas como “estatuto sociocultural da morte e do morrer, a incompetência social e individual para a perda, os comportamentos de risco, o tratamento mediático da morte das crianças bem como a resposta que cada individuo dá a esta experiência da morte, da perda e do luto”.

A iniciativa pretende “propor à sociedade portuguesa um processo de reflexão sobre a morte das crianças, as crianças em luto e o luto pelas crianças”.

“Num contexto histórico marcado pela negação da morte e do morrer, o santuário quer reunir aqueles que no âmbito da educação, da saúde e da pastoral se encontram com as dificuldades de acompanhar as crianças em processo de morrer ou em processo de luto e os adultos em luto pelas crianças”, refere um documento produzido pelo grupo de trabalho envolvido nas jornadas.

O programa das jornadas decorrerá no Centro Pastoral de Paulo VI, na Casa de Retiros de Nossa Senhora do Carmo e na Casa de Retiros de Nossa Senhora das Dores.