Assinar Edições Digitais
Covid-19

Utente da APPDA-Leiria infetado com Covid-19

Após a confirmação de um caso positivo, direção da APPDA-Leiria afirma que está a trabalhar em articulação com as autoridades de saúde, segurança social e município para garantir o acompanhamento de utentes e trabalhadores.

Instalações do lar residencial da appda leiria

Um dos nove utentes do lar residencial da APPDA – Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo de Leiria foi diagnosticado com Covid-19, este fim de semana, informa o presidente da direção em comunicado enviado às redações.

Paulo Silva Santos esclarece que a confirmação veio das autoridades de saúde, “na sequência do registo anormal de temperatura” de um dos utentes. Desde o dia 14 de março que a APPDA estava a efetuar a medições regulares de temperatura a trabalhadores e utentes.

O caso que agora deu positivo no teste de coronavírus corresponde ao de um utente que, desde o dia 27 de março, registava valores anormais, tendo os sintomas da doença agravado no sábado, dia 28.

Nesse mesmo dia, após a saída do utente, Paulo Silva Santos refere que “foi chamada uma equipa para fazer a desinfeção das instalações”.

Os restantes utentes foram colocados “em isolamento em quartos separados, com prestação dos cuidados de higiene e alimentação nos respetivos quartos e com todos os equipamentos de proteção individual de uso único”.

Já hoje, segunda-feira, elementos do Centro Hospitalar de Leiria estiveram nas instalações da APPDA para realizar 14 testes aos utentes e trabalhadores que se encontram em permanência no lar residencial.

A direção da associação informa que está a trabalhar em articulação com as autoridades de saúde, Segurança Social e Município de Leiria e “apela à tranquilidade dos familiares de utentes e trabalhadores, assegurando que tudo está a ser feito para garantir o melhor acompanhamento”.

No mesmo comunicado, o presidente da direção informa que, desde o dia 13 de março, a associação “apenas tem em funcionamento o lar residencial, cuja capacidade foi reduzida para nove utentes decorrendo da própria natureza da contingência”.

No que diz respeito às funcionárias, “foi feito um reajuste”, com a divisão em duas equipas que funcionam de forma rotativa durante um período de cinco dias consecutivos cada uma.

Desde a confirmação do caso positivo que as colaboradores que estavam de serviço no lar residencial permanecem no lar. Paulo Silva Santos esclarece que foram “fornecidos colchões, roupa e alimentação para que pudessem pernoitar nas instalações e permanecessem durante o tempo necessário”.

Já a equipa que estava de prevenção, em casa, foi instruída no sentido a fazer o isolamento, num quarto com casa de banho de utilização exclusiva, para evitar o contágio de possíveis co-habitantes.

A APPDA-Leiria é uma IPSS (instituição particular de solidariedade social) que conta com três respostas sociais: centro de atendimento, acompanhamento e reabilitação para pessoas com deficiência (CAARPD); centro de atividades ocupacionais (CAO) e lar residencial.