“Arrepiante” é a palavra utilizada por Jorge Vala, presidente da Câmara de Porto de Mós, para descrever a “falta de civismo” que revela o amontoado de lixo espalhado pelo chão junto a contentores.

A situação foi denunciada pelo autarca na tarde desta sexta-feira, dia 3, na sua página de Facebook, onde partilhou algumas imagens do local.

“Estamos em situação de estado de emergência nacional, sendo fundamental que o bom senso e o civismo imperem”, escreve Jorge Vala, acrescentando que “as empresas de recolha dos resíduos urbanos (…) continuam a trabalhar”.

O presidente da Câmara de Porto de Mós faz ainda um apelo “ao civismo de todos” para que a situação não se repita e pede que sejam denunciados estes casos porque “merecem severa punição”.

Mas esta situação não é única e na quinta-feira da semana passada, dia 26 de março, Artur Santos, presidente da União de Freguesias de Colmeias e Memória, também recorreu à plataforma digital para denunciar um cenário idêntico.

O autarca partilhou fotografias em que se veem resíduos fora do contentor e relembra à população que devido ao surto da Covid-19 “o lixo obrigatoriamente deve estar em sacos fechados e colocados dentro dos contentores”.

Artur Santos apela a quem se deparar com este tipo de situações que denuncie, “fotografe, faça vídeos e envie”. Informa ainda que serão colocadas câmaras “em locais estratégicos” de forma a identificar os transgressores.