O futebolista Pedro Santos, mais conhecido por Pepo, descobriu o gosto pela leitura nesta pausa forçada pela pandemia da covid-19, confessou o jogador à página oficial do Vilafranquense no Facebook.

Natural das Caldas da Rainha, Pepo cumpre a sua primeira temporada no Vilafranquense, da II Liga portuguesa, e continua a estudar. O médio ofensivo de 26 anos, cumpriu sete épocas ao serviço da União de Leiria, clube que representou antes de se mudar para o Vilafranquense. Teve ainda passagens, na formação pelo Beneditense e pelo Caldas SC.

“Eu não estava habituado a ler e estou a descobrir alguns livros que me ajudam bastante a reduzir os níveis de ansiedade, e a ter outras perspetivas de ver as coisas”, disse.

“Estou na faculdade, a fazer o curso de desporto e bem-estar, e tenho tido algumas reuniões, feitas pelo computador ao nível de estágio e projeto. Se não tiver reuniões, tento trabalhar no meu projeto. Posso, depois, entreter-me com a playstation ou a ler”, conta o futebolista.

Quanto à situação atual de crise sanitária, devido à pandemia da covid-19, Pepo reconhece que está a ser uma “fase complicada para imensa gente” e que “não é fácil gerir”, até pelas notícias “arrepiantes e desoladoras”.

Numa altura em que o país está em estado de emergência e é pedido a todos para não andarem na rua, o futebolista do Vilafranquense tem cumprido a sua rotina em casa.

“Realizo o meu treino, que os treinadores do clube prepararam. Faço exercícios em casa ou no exterior, e com todos os cuidados. Se vejo alguma pessoa na rua, passo para o outro passeio”, explicou o jogador natural de Caldas da Rainha.

Formação da União de Leiria na época 2017/2018, com Pepo, ao centro, com o número 5.

Quando a pandemia de covid-19 suspendeu a II Liga, à 24.ª jornada, o Vilafranquense seguia no 16.º lugar, o primeiro acima da ‘linha de água’, com 24 pontos, contra 17 do Cova da Piedade (17.º) e 11 do Casa Pia (18.º e último).