A Assembleia Municipal da Nazaré autorizou a Câmara Municipal a iniciar o processo de reclassificação do Monte S. Bartolomeu a monumento natural de interesse nacional, estatuto que perdeu em 2008, disse hoje fonte oficial autárquica.

O Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade colocou em discussão pública o processo de reclassificação do sítio na tipologia de Monumento Natural”, em finais de 2010.

O processo deveria ter sido finalizado até outubro de 2012, com a reclassificação na tipologia de monumento natural, o que não aconteceu, informou em nota de imprensa este município do distrito de Leiria.

Uma vez que o prazo de dois anos para a reclassificação cessou, câmara e assembleia municipal aprovaram iniciar novo processo de reclassificação.

O local, na freguesia da Nazaré, esteve classificado até 2008 pelo seu interesse histórico, tendo em conta as ligações à lenda da imagem de Nossa Senhora da Nazaré, e pelo interesse religioso, enquanto local de romagem e peregrinação.

Possui ainda motivos de interesse arqueológico, face à provável localização de um povoado pré-histórico, e de interesse botânico, pela vegetação existente.

O Monte de S. Bartolomeu ou de S. Brás, datado do Cretáceo Superior, possui uma altitude de 156 metros e está envolvido por um extenso pinhal, que lhe confere interesse paisagístico.

No seu topo localiza-se a Capela de S. Bartolomeu e S. Brás.

No local, podem ser avistadas aves como o Peneireiro e a Águia de Asa Redonda.

Por altura do Carnaval, os foliões sobem as centenas de degraus que levam ao Monte de S. Bartolomeu, marcando o arranque do Carnaval da Nazaré com uma romaria que culmina com um piquenique à volta de fogueiras.

A tradicional festa de S. Brás (em 3 de fevereiro) e romaria ao monte de S. Bartolomeu marca, há décadas, o arranque do Carnaval na Nazaré.

A romaria ao monte cujo cume se situa a 156 metros de altura, é feita através de uma extensa escadaria com “perto de 300 degraus”.