Adélio Amaro foi reconduzido na presidência da direção do Centro de Património da Estremadura (CEPAE) para os próximos dois anos. O ato eleitoral decorreu na passada sexta-feira, na Batalha, tendo a única lista candidata recolhido 126 votos a favor e uma abstenção.  

A nova direção conta ainda com Luís Miguel Narciso, que assegura a vice-presidência daquele organismo, Nuno Jesus, no cargo de secretário, Verónica Gordo, tesoureira, e Joaquim Moreira Ruivo, como vogal.

A mesa da Assembleia é presidida pela Câmara da Batalha, secundada pelas câmaras da Marinha Grande e de Porto de Mós. Já o conselho fiscal é liderado pelo município de Leiria, estando neste órgão também representadas as câmaras de Pombal e de Caldas da Rainha.

Do plano de atividades para 2020, destaca-se a promoção de um inquérito a todas as freguesias do distrito de Leiria e concelho de Ourém, com vinte tópicos, no sentido de fazer um levantamento de todo o património cultural existente na região.

A reativação do conselho consultivo – “que na prática nunca chegou a funcionar” – é outra das propostas da nova equipa para este ano, com o objetivo de dar “mais projeção e dimensão ao CEPAE, tanto na recolha de conteúdos como na valorização prática dos mesmos”.

O futuro conselho consultivo será liderado pelo município de Ourém e contará com a participação de várias personalidades a convidar.

Aposta em novos projetos editoriais

“O CEPAE tem vindo a desenvolver um papel importante ao nível da investigação, na medida em que o património passou a ser mais conhecido através do trabalho empenhado de vários investigadores da região, cabendo-nos um papel na difusão desses estudos através da edição de publicações”, refere a direção do CEPAE, que considera fundamental dar continuidade aos seus projetos editoriais.

Nesse âmbito, prevê lançar uma terceira série da coleção “Estremadura: Espaços e Memórias”, estando prevista para este ano a edição de seis obras de investigadores da região.

Destaca-se ainda do plano a realização de colóquios dedicados ao património e tertúlias para recordar figuras da região, como foram Afonso Zúquete, José Ribeiro de Sousa e António de Campos Júnior, a dinamização de cursos livres e certificados e de oficinas de trabalho, bem como o acolhimento de dois estágios no âmbito do Património, Ambiente e Turismo Sustentável.

A organização de uma conferência internacional online sob o tema “O nosso Património visto pelos outros” e a intervenção do CEPAE em dois congressos internacionais são outros objetivos definidos para este ano.