Pombal cumpre, esta quarta-feira, o segundo dia de luto municipal pela morte de Gentil Figueira da Silva Guedes que exerceu as funções de vereador no mandato de 1993 a 1997, com os pelouros de Educação, Cultura e Património, Espaços Verdes, Jardins e Mobiliário Urbano, e Turismo.

O funeral realiza-se hoje, às 17 horas, no crematório do Taveiro, em Coimbra, com as restrições impostas pela Covid-19.

Em nota de imprensa, o executivo de Pombal refere que “Gentil Guedes foi um exemplo na dedicação e entrega à causa pública e a Pombal, sendo acarinhado pela comunidade, quer nas funções autárquicas que desempenhou, quer na sua vida profissional e empresarial”.

Enquanto vereador da Cultura, Gentil Guedes foi um dos impulsionadores das Marchas Populares de Santo António, da construção da Biblioteca Municipal, da criação do Festival de Teatro, da Feira do Livro e da Feira Nacional de Artesanato, “área pela qual mantinha, até aos dias de hoje, uma grande estima, valorizando o trabalho de artesãos das várias regiões do país”, refere a mesma nota.

Esta quarta-feira, a bandeira do Município está, pelo segundo dia, colocada a meia haste no edifício dos Paços do Concelho, como forma de “reconhecimento e agradecimento pelo trabalho realizado por Gentil Guedes, designadamente no enriquecimento cultural do concelho”.