Até 31 de dezembro a ação da Guarda Nacional Republicana (GNR) vai intensificar o patrulhamento nas explorações agrícolas, em todo o território nacional. O objetivo da operação “Campo Seguro 2020”, que arrancou na segunda-feira, é “prevenir a criminalidade em geral e os furtos em particular, bem como possíveis situações de tráfico de seres humanos”.

No decorrer da fiscalização a GNR pretende promover também ações de informação e sensibilização junto das comunidades rurais, “muito especialmente dos agricultores”, informa em comunicado. Medidas de prevenção e orientações contra furtos, “em particular contra o furto de cortiça” e de outros produtos agrícolas, como o “cobre e outros metais não-preciosos”, estão igualmente previstas.

A GNR informou ainda que, devido ao número de acidentes registados com veículos agrícolas em 2019, serão desencadeadas igualmente ações de sensibilização dirigidas aos utilizadores de tratores e máquinas agrícolas, “com o objetivo de os aconselhar para o cumprimento das regras de segurança”. Entre os conselhos transmitidos estão a frequente manutenção do veículo; o uso de estruturas de proteção e de acessórios de iluminação; e não conduzir sob efeito de álcool, fadiga ou excesso de velocidade.

“No intuito de garantir que as diversas campanhas agrícolas decorram num clima de segurança, a GNR irá desenvolver ações de policiamento de proximidade e de fiscalização, empenhando militares de diferentes valências, nomeadamente, dos Comandos Territoriais, do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente, da Investigação Criminal e da Unidade de Ação Fiscal. Para fazer face à criminalidade transfronteiriça, serão efetuadas ações de fiscalização em coordenação com a Guardia Civil”, acrescenta a nota.