Os organismos gelatinosos que hoje deram à costa na Foz do Arelho foram identificados como salpas e a interdição dos banhos foi levantada durante a tarde depois de a espécie ter sido considerada inofensiva, informou a Capitania de Peniche.

“A espécie foi identificada por biólogos da Escola Superior de Tecnologia do Mar como salpa”, disse à agência Lusa o capitão do Porto de Peniche, Vasco Toledo Cristo, aludindo aos organismos gelatinosos que hoje de manhã deram à costa na praia da Foz do Arelho, no concelho das Caldas da Rainha, distrito de Leiria.

As salpas pertencem a um conjunto de espécie de tunicados planctónicos “muito comuns nos oceanos, mas que não costumam dar à costa”, afirmou o comandante da capitania, admitindo que “o surgimento na Foz do Arelho possa ter a ver com uma circunstância de marés”.

O aparecimento de uma “grande quantidade destes organismos em toda a faixa de maré” levou à interdição de banhos nas zonas concessionadas da praia, onde foi hasteada a bandeira vermelha.

A interdição foi, no entanto, levantada cerca das 17:00, por “determinação das autoridades de saúde locais e regionais”, após ter sido constatado que “a espécie não tem qualquer perigo para a saúde dos banhistas”, concluiu Vasco Toledo Cristo.

Ao nosso jornal, fonte do MARE-IPLeiria esclareceu entretanto que foi a bióloga Sónia Cotrim, daquele centro de investigação, sediado no edifício CETEMARES, a responsável pela identificação da espécie.

Com Lusa

Nota: Notícia atualizada às 22h24 com informação adicional sobre autoria da identificação da espécie.