Quatro politécnicos portugueses vão integrar três consórcios no âmbito da criação de um espaço europeu de educação, com a aprovação de 24 novas candidaturas pela Comissão Europeia, anunciou na quinta-feira, 9 de julho, o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP).

O projeto para universidades europeias inclui a participação dos politécnicos do Porto, de Setúbal, de Leiria e do Cávado e do Ave.

“Dois destes consórcios são liderados pelos politécnicos do Porto e de Leiria”, sublinhou o CCISP em comunicado.

Os institutos portugueses agora selecionados vão juntar-se às 17 primeiras alianças de instituições de ensino superior selecionadas em 2019.

“Com o apoio financeiro do Erasmus + e Programas Horizonte 2020, pretendem apontar para a qualidade, inclusão, digitalização e atratividade do ensino superior europeu”, especifica-se no documento.

A iniciativa representa, segundo o CCISP, “um reforço do papel das Universidades de Ciências Aplicadas ou Universidades Politécnicas no contexto europeu, destacando-se os consórcios E3UDRESs e RUN-EU no caso português”.

O projeto de criação de um Espaço Europeu de Educação permitirá “aprofundar a cooperação” entre as instituições, os alunos e equipas e “agrupar recursos físicos e online, cursos, conhecimentos, dados e infraestrutura”, de acordo com a informação divulgada.

Citado no documento, o presidente do CCISP, Pedro Dominguinhos, defendeu que a aprovação dos três consórcios que integram quatro politécnicos portugueses demonstra “o reconhecimento e credibilidade, a nível europeu” destas instituições, uma vez que o nível de exigência era “extremamente elevado”.

“Estas candidaturas implicam um compromisso muito claro com a inovação pedagógica, com o reforço do processo de internacionalização e também uma relação mais próxima com os territórios, potenciando estratégias de co-criação entre os vários atores do território”, frisou o responsável.

A Comissão Europeia propôs a iniciativa das universidades europeias aos líderes da União Europeia antes da Cimeira Social de Gotemburgo, em novembro de 2017, como parte de uma visão geral para a criação de um Espaço Europeu da Educação até 2025. A iniciativa foi aprovada pelo Conselho Europeu em dezembro de 2017, que pedia o surgimento de pelo menos 20 universidades europeias até 2024.

O conceito de universidades europeias foi desenvolvido sob a orientação da Comissão Europeia, em cooperação com os estados-membros, instituições de ensino superior e organizações de estudantes.