Noventa e uma empresas empresas foram criadas no distrito de Santarém em julho, sendo que 16 delas se instalaram no concelho de Ourém, avança uma nota da Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém.

No distrito, o número de novas empresas é similar ao registado no mesmo mês de 2019, o que acontece pelo segundo mês consecutivo, sublinha a associação.

“Após o período de confinamento fruto da pandemia covid-19, que abalou seriamente a criação de empresas no distrito de Santarém, em especial nos meses de março, abril e maio, verifica-se, em julho, uma tendência de recuperação”, com 91 sociedades criadas, menos uma do que em julho de 2019, tendência já sentida em junho, mês em que foram criadas mais cinco empresas que em junho do ano passado, lê-se na nota da Nersant.

Ourém foi o concelho onde mais empresas foram criadas no mês passado, superando até a capital de distrito, Santarém, onde surgiram 14 novos negócios.

Por setores de atividade, destacam-se o comércio a retalho (11), a construção de edifícios residenciais e não residenciais (cinco), restaurantes (cinco), compra e venda de bens imobiliários (cinco). A maioria dos promotores foram homens (64 empresas), tendo apenas 27 novos negócios (30%) sido criados por mulheres.