Uma versão da cantata “Carmina Burana” para dança contemporânea e videomapping encerra esta quarta-feira, 19 de agosto, o festival Cistermúsica.

O espetáculo criado pela Vortice Dance, de Fátima, não terá público na plateia: a performance que a companhia apresentará no Mosteiro de Alcobaça cruza-se com o trabalho multimédia e o resultado será transmitido online, através do Facebook do Cistermúsica, a partir das 23 horas de quarta-feira.

Segundo a organização, a Vortice preparou uma “abordagem exuberante e provocativa” da obra de Carl Orff, recriando “a recente situação de confinamento”.

O trabalho implicou várias noites de residência artística nos claustros do Mosteiro, procurando, através da dança e da projeção vídeo, produzir “uma emocionante viagem”.

“Está a ser um processo de grande demanda e de grande entrega física, emocional e relacional de todos os bailarinos, atores e de nós mesmos. Revivemos as situações escritas nos contos medievais, de uma forma extenuante e cíclica. É uma obra onde todas as personagens são corrompidas pelos prazeres da carne e pela luxúria, o que numa situação de confinamento, assume, por vezes, a dimensão da loucura”, referem Cláudia Martins e Rafael Carriço, coreógrafos da obra, citados pela organização do Cistermúsica.

O espetáculo “Carmina Burana” encerrará o festival Cistermúsica que domingo, 16 de agosto, apresentou o último espetáculo desta edição com público presencial, na Nave Central do Mosteiro de Alcobaça. De assinalar que em todos os 15 concertos que integraram o programa deste ano se registou lotação esgotada.