A poluição no rio Lis voltou a merecer a atenção dos deputados na Assembleia da República. João Gonçalves Pereira e Cecília Meireles, parlamentares do CDS-PP, pediram esclarecimentos ao Governo sobre a poluição do rio Lis.

As questões dos centristas surgem na mesma semana em que também deputados do PS eleitos por Leiria se dirigiram ao Governo sobre o impacto da ETAR do Coimbrão na qualidade ambiental do rio.

“Numa pergunta dirigida ao Ministro do Ambiente e Ação Climática, os deputados do CDS questionam, desde logo, se o governante tem conhecimento, e confirma, os recorrentes episódios de poluição no rio Lis, e afluentes, fruto de alegadas descargas ilegais”, divulgou ontem, dia 23, o grupo parlamentar do CDS-PP.

Deputados questionam Governo sobre poluição no rio Lis Foto de arquivo: Joaquim Dâmaso

Os deputados, explica a mesma nota, pretendem saber se a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e o Serviço Especial de Proteção da Natureza da GNR (SEPNA) “têm investigado estes episódios no sentido de apurar as origens, e com que consequências”, questionando ainda sobre a frequência com que são feitas recolhas de amostras para a análise da água nas zonas mais afetadas.

A ETAR do Coimbrão, cujo produto final da sua atividade é canalizado para o rio Lis na zona da Galeota (Vieira de Leiria), também merece a atenção dos parlamentares.

Os deputados centristas questionam o ministro João Pedro Matos Fernandes sobre se “está em condições de afirmar que a ETAR cumpre os Valores Limite de Emissão (VLE) estipulados na licença de descarga e na legislação, e se pode confirmar que se encontra a funcionar em boas condições ou, pelo contrário, se está subdimensionada”.

João Gonçalves Pereira e Cecília Meireles perguntam também com que frequência aquele equipamento, bem como “as empresas, incluindo suiniculturas”, são fiscalizadas.

Recorde-se que no passado dia 15, a Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar aprovou a audição de, entre outros, ministros, autarcas e o presidente do Grupo Águas de Portugal (AdP) sobre os problemas de poluição na bacia hidrográfica do rio Lis.