Revolution Hope Imagination (RHI) é uma iniciativa promovida pelo Arte Institute em Portugal, que visa criar novos modelos de negócio para as artes e cultura contemporânea, através de palestras, workshops e espetáculos em 11 cidades do país, entre as quais se encontram Alcobaça e Leiria.

Em Alcobaça, em ambos os dias do evento, 20 e 21 de setembro, há atividades no Cine-Teatro e na Academia de Música.

Para o primeiro dia está programada uma conversa entre representantes das várias cidades de RHI sobre o que têm feito durante a pandemia, que possa ser um contributo para o futuro da área. Há também um showcase com artistas locais, nomeadamente os Plastic People, Stone Dead e Churky, pelas 20 horas.

No segundo dia, dois workshops: um de dança com Virginia Lensi, do Teatro de Ballet americano, na Academia de Música de Alcobaça, pelas 18 horas; e outro de marketing digital, no qual se podem aprender técnicas de filmagem com equipamento barato, no Cine-Teatro, às 15h30.

Programa de Alcobaça disponível aqui

Programa para Leiria disponível aqui

Em Leiria, as atividades desenrolam-se apenas no dia 21, com três workshops no Museu de Leiria. Os temas são: “Marketing digital”, das 10 às 14 horas; “Arte & Business”, entre as 15 horas e as 16h30; e “Sobre os fundos europeus e apoio à internacionalização das indústrias culturais e criativas”, entre as 17 e as 18 horas.

Além dos workshops, Leiria recebe, entre as 10h30 e as 12h30, showcases de conservatórios de música e dança do concelho, no Teatro José Lúcio da Silva.

Todos as atividades são de entrada gratuita, mas os workshops carecem de inscrição prévia até 17 de setembro em https://bit.ly/3gUCjop , estando limitados a 30 lugares.

A segunda edição de RHI, em Portugal, arranca no próximo dia 18 e termina a 25 de setembro, com atividades em mais nove cidades portuguesas: Évora, Loulé, Vidigueira, Braga, Torres Vedras, Lisboa, Porto, Funchal e Faro.

O objetivo é dar voz a artistas de vários pontos do país e oferecer oportunidades de contacto entre programadores, curadores e artistas portugueses, bem como novas interações com empresas e agentes turísticos, avança a organização.