Faltam 11 etapas para o pelotão do Giro de Itália chegar a Milão mas mesmo sem saber quem vai ganhar a edição 2020, a festa já decorre há vários dias. Pelo menos por cá.

Em A-dos-Francos, concelho de Caldas da Rainha, onde é recordado como bom aluno, as casas, as árvores e as ruas estão a ganhar tons de rosa.

O desafio foi lançado pela junta de freguesia e os moradores estão a responder positivamente.

Há tarjas nas janelas e varandas, estruturas pintadas de rosa, bicicletas no meio de rotundas.

Tudo serve para apoiar João Almeida, ciclista da terra que liderava, esta terça-feira, a classificação geral da Volta a Itália pelo oitavo dia consecutivo.

À agência Lusa, o diretor do Colégio Frei Cristóvão descreveu o corredor da QuickStep como “um aluno bastante querido de todos os professores, esforçado, bem-educado”, com um percurso académico, entre o 5º e 9º ano, sempre com avaliações positivas.

A memória de José Dionísio permite-lhe mencionar sempre o líder do Giro pelo nome completo – João Pedro Gonçalves Almeida –, que, apesar de tudo, “gostava mesmo era da bicicleta”.

“Foi um bom aluno na escola e no ciclismo é inigualável”, frisou o responsável do estabelecimento de ensino, atestando o “orgulho pelo representante da terra”, pela freguesia e pelo colégio.

O professor Luís Serrano, que assumiu ter “pancada pela bicicleta”, lembra-se de João Almeida como aluno do 9º ano, a quem lecionou inglês, mas também como companheiro de pedaladas.

“Então, com 14 ou 15 anos, já se distanciava do grupo”, recordou o docente, reconhecendo ter acompanhado o antigo aluno e dizendo que, à medida que se consolidava no pelotão internacional, “dava para perceber que iria ter uma carreira auspiciosa”.

O auge poderá estar marcado para 25 de outubro, dia do final do Giro, em Milão, mas, até lá, o entusiasmo tem sido notório.

“É estrondoso! O ciclismo não tem a expressão do futebol e o João Almeida, mesmo sendo da terra, estava fora do radar, até porque, ao correr fora, nem participa na Volta a Portugal. Obviamente, já o conheciam por ser daqui, mas sentem-se orgulhosos por ouvir falar em alguém da vila, pelo feito que é”, explicou.

O professor confessou-se ainda orgulhoso pela aprendizagem de João Almeida, reconhecendo que “se nota que a prática do inglês lhe tem feito bem, porque melhorou bastante”.

João Almeida é, segundo Luís Serrano, “o tema do momento” em A-dos-Francos, onde a Junta de Freguesia “fez um trabalho engraçado, ao ‘pintar’ as ruas de cor de rosa” e o entusiasmo é percetível “na escola, na pastelaria, na associação”.

“O cor de rosa é a cor da moda”, rematou.

Pinturas alusivas ao ciclismo ganham espaço no alcatrão

Ontem, terça-feira, enquanto o ciclista das Caldas da Rainha disputava a 10ª etapa, o presidente da Junta de Freguesia de A-dos-Francos descreveu à Lusa o apoio generalizado ao jovem de 22 anos natural e residente na localidade.

“Eu hoje ainda não consegui sair de casa e tenho estado fixado na televisão, como todos na freguesia. Toda a gente conhece o João e a família dele, e estamos a todos a torcer para que continue de rosa e a deixar orgulhosos todos, na freguesia e no concelho”, sublinhou o autarca Paulo Sousa.

À medida que os 177 km da etapa iam sendo percorridos, João Almeida correspondeu ao apoio dos conterrâneos e terminou no terceiro lugar, reforçando a liderança na geral, com 34 segundos de vantagem.

Ontem, no dia de descanso, o ciclista foi desafiado para uma sessão fotográfica da Getty Images, onde aparece a dormir com a almofada vestida de cor de rosa.

“No fundo, estamos a fazer tudo o que nos é possível para que ele sinta o nosso apoio e tem sido fantástico”, salientou Paulo Sousa, acrescentando que “as pessoas têm colorido as casas, têm usado roupas cor de rosa”.

A autarquia deu o mote, ao “colocar uma bicicleta na rotunda central da terra, uma faixa de apoio no edifício da Junta de Freguesia”, mas também a decorar “com faixas rosa muitos plátanos, numa zona de passagem para muitos ciclistas” e “hoje a fazer algumas pinturas alusivas ao ciclismo nas estradas”.

A pandemia de covid-19 inibe o convívio social, mas, mesmo assim, estas manifestações de apoio podem ser notadas, sobretudo nas escolas da pequena localidade, que conta cerca de dois mil habitantes.

“O João tem uma irmã mais nova, que anda no terceiro ano, e na classe dela todos vestem rosa. O meu filho, que tem cinco anos, ontem apareceu em casa com uma pulseira cor de rosa, feita pela educadora, por isso, a mensagem está a passar”, referiu Paulo Sousa.

Apesar de ter sido eleito pelo PSD, o autarca assumiu-se confortável com a nova tonalidade na freguesia. “De todo, neste caso e nesta causa não há cores partidárias, somos todos rosa, até porque o apoio ao João tem sido generalizado”, vincou.

O corredor português prossegue na liderança do Giro, pelo oitavo dia consecutivo, quando faltam 11 etapas para a chegada a Milão.

Com Lusa