Assinar Edições Digitais


Batalha

Construção de novo centro de saúde entre as prioridades da Batalha para 2021

Está também previsto no orçamento dos próximos anos a construção de passadiços em Reguengo do Fetal

imagem das traseias do mosteiro da Batalha

A construção de um novo centro de saúde está entre as prioridades do Município da Batalha para o orçamento de 2021 e anos seguintes, anunciou nesta terça-feira, 3, aquela câmara.

A construção do novo centro de saúde “Condestável” e a construção dos “Passadiços da Magueixa”, na freguesia do Reguengo do Fetal são alguns dos projetos previstos na proposta de orçamento e plano plurianual de investimentos (PPI) 2021 a 2025, refere uma nota de imprensa.

A Câmara Municipal da Batalha vai colocar à apreciação pública as linhas principais para o orçamento de 2021 e anos seguintes “num período que se prevê exigente e de forte investimento em áreas estratégicas para a recuperação da economia, do emprego e da melhoria das condições de vidas dos batalhenses”, afirma o presidente da autarquia, Paulo Batista Santos, citado numa nota de imprensa.

Segundo a mesma nota, nos documentos previsionais estão contemplados projetos orientados para a sustentabilidade ambiental, seja através da construção de novas ecovias (com duas já em concurso público nas freguesias da Batalha e da Golpilheira), seja pelo reforço do investimento da rede de saneamento básico e na otimização do sistema de recolha seletiva de resíduos no concelho da Batalha, nomeadamente dos chamados biorresíduos, através do programa “Batalha Recicla”.

O orçamento e plano para 2021 prevêem a manutenção dos impostos e taxas municipais nos níveis mínimos, bem como o reforço das medidas sociais de apoio ao rendimento das famílias, onde pontificam programas como o “Crescer Mais”, de apoio à aquisição de medicamentos, e o “Cartão Familiar”, que beneficiam de um reforço de recursos superior a 20% face a 2019.

Outra prioridade da Câmara da Batalha é a descentralização, que, segundo o comunicado, continua a “esbarrar em múltiplas inércias do Governo e da administração central na gestão desse processo”.

“Vamos continuar muito empenhados nessa frente de trabalho, cuidando das áreas onde as operações estão a correr bem – como a Educação – seguindo-se novas competências nas áreas da justiça, da ação social e da saúde, além das que necessitam de melhorias substanciais em alguns diplomas do “pacote da descentralização” – como a área de transferência de património devoluto do Estado”, lê-se ainda na nota de imprensa.

Paulo Batista Santos considera que “o próximo ano é decisivo para a recuperação da estabilidade familiar e fomentar a economia e o emprego, para além de consolidar as medidas de saúde que permitam ultrapassar a situação e consequências da pandemia da covid-19”.

“O orçamento de 2021 terá como marca principal o crescimento no investimento e a aposta na qualidade de vida”, acrescentou o autarca no referido comunicado.

A proposta de orçamento para 2021 será votada até ao final do mês de novembro e beneficiará de contributos recolhidos pelas freguesias, eleitos, partidos políticos e população em geral.