Assinar Edições Digitais


Marinha Grande

Previsto há duas décadas Museu da Floresta tem verba no Orçamento do Estado para arrancar

É uma “decisão histórica” para a Marinha Grande, considera o PS do distrito. Museu deverá ser instalado no Parque do Engenho.

O arranque do Museu Nacional da Floresta, a instalar na Marinha Grande, conta com 200 mil euros inscritos no Orçamento do Estado.

A inclusão da verba no Orçamento do Estado para 2021 foi assegurada na tarde desta quarta-feira, com a aprovação de uma proposta apresentada pelo parlamentar socialista, João Paulo Pedrosa.

Os 200 mil euros serão canalizados para a o primeiro Núcleo do Museu Nacional da Floresta, adianta a distrital de Leiria em comunicado.

Criado há cerca de duas décadas, o processo de concretização do museu tem “tido alguns avanços no que diz respeito aos elementos documentais com a transferência para a Marinha Grande do arquivo florestal nacional e com a recepção de artefactos que constituirão o seu espólio futuro”, explica a estrutura socialista.

O processo tem-se arrastado ainda em consequência das dificuldades de financiamento.

“Com a aprovação desta proposta, o Orçamento do Estado para 2021 consagra uma verba de 200 mil euros proveniente do Ministério da Cultura a que se pode associar o financiamento adicionar do Fundo Florestal Permanente , de acordo com compromisso da Secretaria de Estado das Florestas”, referem os socialistas

É uma “decisão histórica” para a Marinha Grande, considera o PS do distrito. O novo-velho museu deverá ser instalado no Parque do Engenho em antigas instalações florestais.

Em outubro, na Marinha Grande, João Paulo Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, tinha já assegurado que o Governo apoiaria o processo de criação do Museu da Floresta.

Criado em 1999 pela Lei nº108, o Museu Nacional da Floresta (MNF) não foi ainda implementado, apesar de algumas iniciativas para a sua concretização ao longo dos anos.