Assinar Edições Digitais
Música

Filarmónica de Monte Redondo pede ajuda depois de incêndio que danificou sede e instrumentos

A mais antiga filarmónica do concelho de Leiria espera retomar as aulas no próximo sábado – se o confinamento deixar.

Um curto-circuito ocorrido na noite de 7 para 8 de janeiro destruiu parte do Salão Nobre do edifício que serve de sede da Sociedade Filarmónica Nossa Senhora da Piedade, em Monte Redondo, e danificou vários instrumentos.

Uma das tomadas elétricas incendiou-se e queimou o fio de um aquecedor, que derreteu. O fogo extinguiu-se por si, mas provocou uma grande quantidade de fumo que deixou marcas no Salão Nobre do edifício do século XVIII que alberga a filarmónica.

O presidente da filarmónica, Jorge Rodrigues, explicou ao REGIÃO DE LEIRIA que ainda não estão contabilizados os prejuízos, mas os trabalhos de limpeza já começaram para tentar retomar, “caso o confinamento permita”, as aulas na instituição, que envolve mais de meia centena de alunos.

“Terá sido um curto-circuito, onde estava ligado um aquecedor que estava desligado. Os instrumentos que lá estavam, sobretudo de percussão, ficaram um bocado danificados, tal como as estantes, cadeiras… ficou tudo preto, do chão ao teto, passando pelas paredes”, descreveu.

O fumo penetrou também noutras salas onde decorrem aulas de música e o estrago podia até ter sido maior.

“Quando cheguei no dia seguinte de manhã estava tudo apagado. Aquilo esteve a derreter lentamente o plástico do aquecedor. Se tivesse havido circulação de ar, podia ter sido pior”, afirma Jorge Rodrigues.

A atividade letiva foi suspensa nos dias de semana e no sábado, dia de maior atividade, tendo vários voluntários iniciado os procedimentos de limpeza.

“Vamos ver se no sábado já temos algumas salas prontas para retomar a atividade”, frisa o responsável.

À semelhança das outras filarmónicas, há um ano que a de Monte Redondo está sem se apresentar em público devido à pandemia – “no ano passado não fizemos nenhum serviço” -, perdendo a principal fonte de receita.

Por isso, a mais antiga filarmónica do concelho de Leiria (fundada em 1872) procura ajuda para reparar e limpar os instrumentos e recuperar o Salão Nobre, “um grande desafio”.

“Entranhou-se tudo e não podemos limpar os instrumentos de qualquer maneira”, nota o presidente.

Quem quiser ajudar a filarmónica de Monte Redondo encontra os dados para isso aqui.