Assinar Edições Digitais


Alcobaça

Escolas de Alcobaça desenvolvem projeto para a igualdade de género

As sessões decorrerão maioritariamente nas escolas parceiras

A câmara de Alcobaça está a desenvolver, durante dois anos, um projeto europeu de promoção da igualdade de género, envolvendo artistas e companhias locais em mais de 150 sessões de atividades com professores, alunos e pais do concelho.

Denominado “Inês = Pedro?” o projeto, apresentado esta segunda-feira, dia 15, por videoconferência, pretende contribuir “para uma educação e formação livres de estereótipos de género” e prevenir para a violência contra as mulheres e a violência doméstica”, afirmou João Mota, psicólogo na Câmara de Alcobaça, promotora da iniciativa.

O projeto tem como parceiros o Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto, a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Cister (EPADRC ) e a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Alcobaça (CPCJ) e prevê, ao longo de dois anos, “a realização de 158 sessões, distribuídas por 19 atividades”, explicou João Mota.

As sessões decorrerão maioritariamente nas escolas parceiras e, segundo o mesmo responsável, terão como característica diferenciadora “uma metodologia assente no recurso a ferramentas artísticas e práticas colaborativas”, envolvendo artistas e companhias locais.

Iniciado em setembro de 2020 o projeto foi “interrompido devido à pandemia [de covid-19] e está agora em fase formação dos grupos envolvidos, entre os quais a companhia S.A. Marionetas, o Teatro da Transformação e o artista Tomes Simão Dionísio, todos de Alcobaça, e a associação Tocar n’Alma, das Caldas da Rainha, concelhos no distrito de Leiria.

A formação está a ser dada pela UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, associação que ao longo de 30 anos tem defendido a igualdade de género.

As dinâmicas a desenvolver nas sessões serão determinadas pelos artistas e poderão passar por dramatização, canto, contar histórias e outras atividades que motivem os alunos para a temática.

A iniciativa “faz parte do projeto educativo do município” que, segundo a vereadora da Educação, Inês Silva, aposta “na formação integral dos alunos, contribuindo para a reflexão sobre as questões da violência”, envolvendo professores, pais e alunos de todos os graus de ensino, desde o jardim-de-infância ao secundário.

O projeto resulta de uma candidatura da câmara de Alcobaça ao programa europeu EEA Grants que financia a 100% o orçamento de 56.223 mil euros a aplicar nas iniciativas que estavam inicialmente previstas para decorrer até setembro de 2022, mas que, em consequência da pandemia, poderão sofrer ajuste de calendarização.

O Programa EEA Grants envolve ainda a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega, no desenvolvimento de ações para reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa, reforçando as relações bilaterais com os Estados beneficiários.

Portugal beneficiará de uma verba de 102,7 milhões de euros.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.