Assinar
Cultura

“O matadouro” volta amanhã às Cortes para uma experiência inédita

O regresso de “O Matadouro” promete trazer ainda mais medo e adrenalina e mexer com os cinco sentidos numa experiência “inédita”, que junta teatro e muitos desafios.

A pandemia obrigou ao cancelamento do espectáculo em 2020, mas a sessão de terror imersivo está de regresso e arranca amanhã, dia 7, no Zambujo, em Cortes, Leiria. Regressa com uma nova modalidade, horários diferentes e “ainda melhor que o ano passado”.

A estreia d’ “O matadouro”, proposta do Projeto Casa Assombrada, do Teatro Reflexo, em Leiria, foi travada em 2020 pela pandemia, mas Michel Simeão, diretor da companhia, garante que o espetáculo está de volta e “ainda melhor”, estando todo o elenco com muita vontade de trabalhar.

O espetáculo de terror imersivo acontece num matadouro inativo do Zambujo, nas Cortes, em Leiria. E até ao final de junho, decorrem sessões todas as sextas-feiras e sábados, como aconteceu o ano passado. Mas os horários são distintos, entre as 19 e as 22 horas, devido às restrições impostas pela Direção-Geral da Saúde.

Quanto às medidas de segurança, mantêm-se e passam pela utilização de máscara e o cumprimento do distanciamento imposto. Mas a experiência este ano é ainda mais segura, uma vez que todo o elenco será testado à Covid-19, na véspera de cada semana do espetáculo.

Michel Simeão conta, ainda, ao REGIÃO DE LEIRIA que há uma nova modalidade: sessões exclusivas para grupos até 20 pessoas. “Ou seja, podemos fechar sessões para grupos de amigos que queiram fazer a experiência só entre eles ou para eventos, como festas de aniversário”, explica. Acrescentando que “é a forma de um grupo se poder juntar fora de casa para fazer uma atividade, tendo em conta que hoje isso é difícil”.

Por enquanto, há sessões apenas até ao final do próximo mês, de forma a conseguir remarcar os mais de dois mil bilhetes que foram vendidos no ano passado, sendo que a “estreia” d’ “O Matadouro” terminou ao fim de três semanas, coincidindo com o pico da segunda vaga de Covid-19 e numa altura em que o espetáculo já estava “afinado”.

O objetivo da companhia para este ano é conseguir “chegar à população local” e enquanto houver público, o espaço permanece aberto.

Michel salienta, também, que existem muitos custos associados a “O Matadouro” e, portanto, é imperativo que a experiência seja sustentável.

O regresso de “O Matadouro” promete trazer ainda mais medo e adrenalina e mexer com os cinco sentidos numa experiência “inédita”, que junta teatro e muitos desafios.

As sessões têm a duração de uma hora cada e são destinadas a maiores de 16 anos. Os bilhetes custam 16 euros e podem ser adquiridos através de reservas.casassombrada@gmail.com.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.