Assinar
Mercado

Dois imóveis em São Pedro de Moel disponíveis para exploração turística

Edifícios estão afetos ao Fundo Revive Natureza que tem por objetivo a recuperação de imóveis públicos devolutos para fins turísticos.

imagem do chalet de são pedro de moel

O Chalet de São Pedro e a Casa do Pinheiro Manso, ambos na praia de São Pedro de Moel, são dois dos seis imóveis afetos ao Fundo Revive Natureza, colocados ontem, a concurso pela Turismo Fundos com vista à atribuição dos direitos de exploração.

Os imóveis “serão, assim, objeto de requalificação e valorização, promovendo o desenvolvimento regional e local, através de novas utilizações para fins turísticos”, esclarece uma nota à comunicação social, enviada pelo gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital.

Os interessados podem apresentar as candidaturas até 20 de setembro de 2021.

Casa do Pinheiro Manso, em São Pedro de Moel: Foto: Revive Natureza

Este é o terceiro lote de imóveis colocados a concurso. O primeiro foi lançado a 21 de julho de 2020, incluiu 12 imóveis e recebeu 161 candidaturas. No segundo concurso, com sete imóveis e um prazo de apresentação de propostas que terminou a 6 de abril deste ano, foram recebidas igualmente 161 candidaturas. Nos concursos anteriores, outros edifícios da região estiveram contemplados, como a Casa Florestal do Pedrógão e as antigas instalações dos Serviços Florestais, na avenida Jose Jardim, em Leiria.

Na mesma nota de imprensa, é referido que “as tipologias de projetos mais representativas aos dois grupos de concursos respeitam a alojamento, a restauração e a atividades de divulgação das tradições e das culturas locais e de promoção de várias atividades económicas complementares”.

Neste terceiro lote, além dos dois edifícios na praia de São Pedro de Moel, estão contemplados o antigo Posto Fiscal em Monte Fidalgo, no concelho de Vila Velha de Rodão, distrito de Castelo Branco, a Casa Florestal de Sul, no concelho da Figueira da Foz, a antiga Sede da Administração Florestal na Figueira da Foz e o Edifício Florestal da Abrigada, no concelho de Alenquer.

Citada no documento, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, afirma que “os resultados dos concursos já lançados ultrapassaram as melhores expectativas, o que mostra o grande interesse por parte dos privados na recuperação e valorização destes imóveis localizados em espaços únicos que dispõem de um elevado potencial de atração turística”.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.