Assinar
Cultura

Leiria mostra instrumentos da Alta Estremadura na “Fête de la Musique” da UNESCO

Os sons e atuações dos elementos dos ranchos da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura ficaram registados em vídeo.

Catorze tocadores de instrumentos tradicionais da Alta Estremadura juntam-se numa peça multimédia que representa Leiria Cidade Criativa da Música UNESCO na ‘Fête de la Musique’, assinalando o Dia Mundial da Música a 21 de junho.

A iniciativa “Fête de la Musique” mobiliza 18 Cidades Criativas da Música UNESCO Foto de arquivo

A iniciativa da Rede de Cidades Criativas UNESCO procura documentar a forma como a música e criatividade de cada cidade são expressas através das tradições culturais da percussão, “especialmente as expressões musicais enraizadas na diáspora africana”, explica à agência Lusa a coordenadora de Leiria Cidade Criativa da Música.

Celeste Afonso conta que a resposta de Leiria ao desafio foi convocar 14 elementos dos ranchos da Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura: “Tocadores de 14 ranchos folclóricos animaram-se, orgulhosos, para mostrar ao mundo como tocamos bilhas de barro, cântaro de zinco, cartaxo de cana, reco reco, crivo, tréculas, pinhas, ferrinhos, gaita de beiços, pífaro, bandolim e cavaquinhos”.

Em duas semanas esses sons e atuações foram registados num vídeo a difundir pela UNESCO.

Na produção está também a experimentação a que os percussionistas António Casal e Samuel Alves se lançaram, obtendo “sonoridades novas com os cântaros da Bajouca”, freguesia do concelho de Leiria com tradição na olaria.

O resultado, avança a coordenadora, é um vídeo que capta a afirmação da identidade da região, onde “da olaria nós fazemos música”.

“Num mundo que sofre a desconexão com as suas raízes, a pesquisa de materiais, de técnicas, de instrumentos e de simbologias de outros tempos conduziu-nos num trabalho de arqueologia cultural em busca da nossa identidade ao cântaro e às tocatas dos nossos ranchos folclóricos”, sublinha Celeste Afonso.

Em simultâneo, para levar mais longe a ponte com a diáspora africana neste evento que é também “um ato de solidariedade com artistas, cidades e públicos para a recuperação criativa da nossa economia” e para “a construção de estratégias antirracistas”, Leiria convidou a Secretaria de Estado da Cultura da Guiné-Bissau a divulgar na “Fête de la Musique” os grupos de tina mandjuandadi, “uma manifestação cultural guineense que incorpora toda a cultura deste povo”.

Ambos os vídeos serão exibidos nos canais UNESCO a 21 de junho, mas antes, no sábado, há antestreia em Leiria na Exposição Nacional de Olaria, às 21 horas. Para que, realça Celeste Afonso, “todos possam ver o resultado deste trabalho que deu tanto gozo fazer e que coloca os nossos tocadores das tocatas dos ranchos num patamar onde nunca estiveram: no mundo!”.

“Fête de la Musique” mobiliza 18 Cidades Criativas da Música UNESCO. De Portugal, além de Leiria, participa também Idanha-a-Nova, representada pela música do grupo Sete Lágrimas, que dará destaque ao adufe enquanto símbolo da identidade local, herdeiro da tradição e presença islâmica na Península Ibérica.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.