Assinar
Ambiente

Estudo do Politécnico destaca importância da ETAR das Olhalvas na preservação do Lis

O estudo sugere “algumas medidas de otimização para reduzir os valores limite dos nutrientes”

ETAR das Olhalvas (Foto: AdCL)

O Politécnico de Leiria entregou as conclusões do estudo de avaliação da requalificação tecnológica da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) das Olhalvas, em Leiria, “onde destaca e reforça a importância desta infraestrutura na preservação do rio Lis”, revelou a Águas do Centro Litoral (AdCL),

A análise da eficiência do tratamento e os principais parâmetros indicadores da qualidade “evidenciou o bom funcionamento e eficiência da ETAR”, que “cumpre a licença de descarga atribuída”, segundo um comunicado divulgado esta terça-feira, 27, pela AdCL.

O estudo sugere, por outro lado, “algumas medidas de otimização para reduzir os valores limite dos nutrientes”, que, segundo a AdCL resultam das “características do meio recetor, que tem uma baixa capacidade de autodepuração.

Neste âmbito, aconselha a instalação de instrumentação de medição e controlo de oxigénio dissolvido em contínuo nos tanques de arejamento ou a introdução de um processo de precipitação química por adição de cloreto férrico após tratamento biológico, para melhor remoção de fósforo, ou ainda a introdução de um processo de tratamento terciário.

“Estas propostas serão analisadas, nomeadamente a nível da sua viabilidade técnico-financeira para posterior pedido de aprovação pela Secretaria de Estado do Ambiente e subsequente desenvolvimento de projetos e procura de cofinanciamentos”, explica a empresa.

Uma consideração do estudo, considerada “importante” pela AdCL, é sobre “a relação entre o caudal e cargas poluentes afluentes à ETAR e a pluviosidade mensal, pelo que o seu funcionamento e consequente uniformidade do efluente beneficiariam de um melhor conhecimento da rede de coletores de águas residuais do sistema de saneamento em “baixa”, do controlo de ligações indevidas de águas pluviais e da verificação do seu estado de conservação.

ETAR das Olhalvas (Foto: AdCL)

“Estando estas redes fora das infraestruturas sob gestão da AdCL é essencial um diálogo com as diferentes entidades gestoras do sistema em ‘baixa’ e atuação conjunta”, esclarece o comunicado.

O estudo foi realizado durante o último ano, por uma equipa multidisciplinar do Politécnico de Leiria, composta por “seis especialistas com experiência reconhecida nos domínios do tratamento de águas residuais, da reutilização de águas residuais, da educação ambiental e da comunicação”, acompanhada por profissionais da empresa.

Em simultâneo foi desenvolvida uma campanha de monitorização das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Lis, a montante e jusante da ETAR, entre outubro de 2020 e abril de 2021.

O relatório apresenta um plano de comunicação para a ETAR, inspirado num caso espanhol, propondo que seja “through the line”, numa dinamização integrada e global, articulando as ferramentas tradicionais (rádio, imprensa, oudoors, etc.) com as ferramentas digitais (homepage, newsletter, redes sociais) e com os eventos e ações promovidas, visando uma comunicação integrada e colaborativa com a população.

Este estudo surgiu de uma parceria entre o Politécnico de Leiria, a AdCL e a Câmara de Leiria e recorreu à capacidade técnico-científica instalada na instituição de ensino para a prestação de assessoria técnica e investigação científica na “definição das melhores metodologias e estratégias visando a requalificação/ modernização da ETAR das Olhalvas, a mitigação do impacto que ainda tem no contexto em que se insere e as possibilidades de reutilização de parte da água tratada, numa perspetiva de uso racional”.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.