Assinar
Saúde

BE pede audição urgente de Marta Temido sobre falta de profissionais no hospital de Leiria

Além da ministra da Saúde, Bloco também quer ouvir conselho de administração do Centro Hospitalar de Leiria.

O Bloco de Esquerda (BE) requereu as audições parlamentares urgentes da ministra da Saúde, Marta Temido, bem como dos conselhos de administração de hospitais das regiões de Leiria, Setúbal, Algarve ou Lisboa devido “à preocupante falta de profissionais” nestas unidades.

“Depois das demissões do diretor clínico e dos 87 profissionais do Centro Hospitalar de Setúbal e da falta de cerca de 53 médicos no Centro Hospitalar de Leiria, foram, nas últimas horas, conhecidas outras preocupantes situações que têm colocado em causa a capacidade de resposta de vários serviços em diversos hospitais do Serviço Nacional de Saúde”, pode ler-se no requerimento enviado, ontem, sexta-feira, pelo BE à comissão parlamentar de Saúde.

De acordo com Moisés Ferreira, o deputado bloquista que assina este pedido, entre estas está a falta de cerca de 100 médicos no Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, a “situação preocupante” do Hospital Egas Moniz e o fecho temporário da urgência de obstetrícia do hospital de Beja devido à falta de médicos da especialidade de obstetrícia para o preenchimento da escala.

Em relação ao Centro Hospitalar de Setúbal, o BE já tinha pedido esta semana a audição urgente dos profissionais demissionários.

“Perante este cenário de escassez generalizada de norte a sul, e estando o país a entrar no Inverno, uma fase particularmente complexa para a população mais debilitada, estes hospitais e a população por eles servida, não podem continuar a depender apenas de anúncios de concursos que ficam vazios ou de pensos rápidos que o Governo anuncia em cima do joelho perante situações de rutura dos serviços, como é o caso dos 10 médicos para o Centro Hospitalar de Setúbal”, critica.

É por isso que os bloquistas entendem “ser da maior urgência” a audição de Marta Temido, bem como dos Conselhos de Administração do Centro Hospitalar de Leiria, do Centro Hospital de Setúbal, do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

Na quinta-feira, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), reuniu com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria (CHL) e deu conta de que faltam mais de 50 médicos especialistas para conseguir responder com eficácia aos utentes que ali acorrem.

“O que nos foi transmitido é que existe um défice de recursos humanos médicos gravíssimo, mais de 50 medicos especialistas, tendo em conta que o CHL tem um total de 269 médicos especialistas. Este é um número absolutamente impressionante e que já se faz sentir em várias especialidades. Além das especialidades sobretudo da Urgência – medicina interna, cirurgia e ortopedia -, com um défice muito importante de especialistas, também outros serviços, como a ginecologia-obstetrícia”, realçou Carlos, Cortes, responsável da SRCOM.

O problema, segundo Carlos Cortes, “tem vindo a agravar-se nos últimos anos e o hospital de Leiria tem tido imensas dificuldades na contratação de recursos humanos, sobretudo médicos”.

Com Lusa

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.