Assinar


Cultura

Isabel Silvestre, José Alberto Sardinha e outros especialistas juntos no Freixial para falar de etnografia

A primeira edição das Jornadas Internacionais de Etnografia acontece dia 20 de novembro no Auditório do Museu do Freixial. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 15 de novembro.

Isabel Silvestre é uma das oradoras convidadas da primeira edição das Jornadas Internacionais de Etnografia de Leiria

Como olhar e investigar as nossas raízes? E como promover e salvaguardar a música tradicional ou levar mais longe a memória através do registo e da celebração das tradições? Estes são alguns dos temas que levam no dia 20 de novembro vários especialistas nacionais e internacionais até ao Freixial, na freguesia do Arrabal, onde se estreiam as Jornadas Internacionais de Etnografia de Leiria.

A nível nacional, o etnomusicólogo José Alberto Sardinha vai falar dos instrumentos do povo português e a cantora Isabel Silvestre defenderá, claro, o seu canto de Manhouce. José Moças partilhará experiências enquanto responsável da editora Tradisom e Mário Correia recordará o furor que é o Intercéltico de Sendim. André Camponês, do Politécnico de Tomar, comparticipa com conhecimentos sobre a inventariação do património imaterial e Rafael Carvalho vai contar a história da revitalização da açoriana Viola da Terra (ou de Dois Corações). Por fim, o coordenador da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027, Paulo Lameiro, abordará a memória longa de uma herança partilhada por 26 municípios que integram o projeto. Ainda a nível local, Luís Miguel Narciso vai abordar a participação de Leiria Cidade Criativa da Música na Fête de la Musique.

De fora de Portugal chegam ao Freixial o antropólogo brasileiro Luiz Nilton Corrêa para falar da Festa do Espírito Santo dos Açores, enquanto a etnomusicóloga chilena Lina Rosa Barriento Pacheco viaja do Chile para partilhar nas Jornadas Internacionais de Etnografia conhecimento na área da etnografia musical. O estudo do têxtil indígena é a especialidade da mexicana Tatiana Bernaldez y Mejía, que partilhará experiências nas jornadas, enquanto os índios Avá-guarani, do Paraguai, “trazem” a Portugal a grega Vasiliki Vroutsi. Um estudo sobre a etnografia dos Tarahumara, um povo do noroeste do México, será apresentado pelo mexicano Eduardo Saucedo de Tagle.

A iniciativa é do município de Leiria e do Agromuseu D. Julinha e vai decorrer no Auditório do Museu Etnográfico do Freixial. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até segunda-feira, 15 de novembro, pelo e-mail culturapopular@cm-leiria.pt.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.