Assinar
Sociedade

Leiria tem 1.203 idosos a viverem sozinhos ou em situação de isolamento

GNR sinalizou a nível nacional 44.484 idosos em situação de vulnerabilidade, mais 2.045 do que em 2020

O distrito de Leiria tem 1.203 idosos em situação de isolamento. O balanço da Operação Censos Sénior 2021 divulgado este domingo, dia 14, pela GNR, indica um aumento de 113 sinalizações face ao ano passado.

A GNR de Leiria tem também levado no Natal bolinhos e conforto aos idosos que acompanha ao longo do ano FOTO: JOAQUIM DÂMASO/ARQUIVO

No todo nacional, Leiria surge como o 15º distrito com mais idosos a viverem sozinhos ou isolados, tendo sido este ano reportado um total de 44.484 casos em todo o país, representando um aumento de 2.045 casos face a 2020 (em que foram registadas 42.439 situações) e de 2.616 face a 2019 (41.868).

O distrito de Vila Real volta a liderar a tabela com 5.191 idosos em situação de vulnerabilidade, seguindo-se os da Guarda (5.012), Viseu (3.543), Faro (3.521), Beja (3.411), Bragança (3.343) e Portalegre (3.130), refere a GNR em comunicado.

Com mais de dois mil casos, surgem ainda os distritos de Évora (2.941) e de Santarém (2.099), e com mais de mil Castelo Branco (1.827), Setúbal (1.742), Braga (1.575), Aveiro (1.480), Coimbra (1.254), Viana do Castelo (1.142) e Lisboa (1.125), que contabilizou mais 358 novas situações do que no ano passado.

Com menos de mil casos, apresenta-se apenas o Porto, embora também com um aumento face a 2020, tendo sido contabilizadas 946 situações (mais 89).

No âmbito da operação realizada durante o mês de outubro com o objetivo de “identificar a população idosa, que vive sozinha, isolada, ou sozinha e isolada”, os militares da GNR, afetos ao Policiamento Comunitário, realizaram 172 ações em sala e 3.431 ações porta a porta, abrangendo um total de 19.812 idosos.

O programa, a decorrer desde 2011, privilegia, segundo a GNR, “o contacto pessoal com as pessoas idosas em situação vulnerável” com o objetivo de sensibilizar e alertar este público-alvo “para a adoção de comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, nomeadamente em situações de violência, de burla e furto, bem como para a adoção de medidas preventivas de propagação da pandemia Covid-19”.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar