Assinar
Desporto

Bairro dos Anjos regressa à I divisão nacional de natação

Prova decorreu este fim de semana em Estarreja e apurou as três equipas masculinas e femininas que sobem à I divisão nacional.

Com o segundo lugar na classificação geral, Bairro dos Anjos sobe à I divisão nacional

O Bairro dos Anjos sagrou-se esta tarde vice-campeão nacional de clubes de 2ª divisão, em masculinos, conseguindo o tão desejado objetivo de subir, na próxima temporada, à I divisão, o topo da modalidade a nível nacional.

O clube leiriense somou seis medalhas na competição que decorreu sábado e domingo em Estarreja, conquistando 343 pontos, no somatório de todas as provas. Em primeiro lugar ficou o Vitória de Guimarães, com 432 pontos.

Já o Desportivo Náutico da Marinha Grande somou 317 pontos, menos nove que o Clube de Natação de Olhão, e a quarta posição na geral, depois de no primeiro dia de competição ter terminado as provas no último lugar do pódio. Os nadadores marinhenses conseguiram três medalhas: uma de prata e duas bronze.

O Bairro dos Anjos regressa à I divisão nacional dez anos depois da última presença.

O Campeonato Nacional de Clubes da 2.ª Divisão realizou-se este fim de semana no Complexo de Desporto e Lazer de Estarreja e conta com a presença de 390 nadadores (206 masculinos e 184 femininos) oriundos dos 32 clubes inscritos.

Subida sofrida com prata da casa

Começaram a nadar no Bairro dos Anjos (BA) e ali fizeram toda a sua formação. Conhecem a história do clube, os resultados e até nadaram, lado a lado, com os atletas que há dez anos entraram na água com as letras do BA na touca – na altura a subida acabou por ser confirmada na secretaria.

Este domingo, a equipa masculina do BA voltou a celebrar a subida ao principal escalão nacional da modalidade, em Estarreja. “Foram dois dias de grande expectativa. As contas eram favoráveis à nossa subida mas foram 48 horas muito sofridas”, diz João Paulo Fróis ao REGIÃO DE LEIRIA, um dia depois da conquista, acrescentando que esta subida “tem um sabor diferente”, porque foi conseguida dentro de água.

Com o primeiro lugar da II divisão quase inacessível, fruto dos reforços que o Vitória SC conseguiu, a equipa do BA sabia que “se as contas batessem certo” seriam vice-campeões nacionais.

“No final, conseguimos mais três pontos do que o previsto mas foi sofrido. No domingo de manhã, os pontos permitiam a subida e eles [nadadores] aliviaram um pouco [o ritmo] e perderam pontos. À tarde tiveram que voltar em força e lutar pela subida, o que já foi mais tranquilo”, explica o técnico.

Além da segunda posição da geral, o BA conquistou seis medalhas: Vítor Belo Clara foi prata nos 400 metros livres e bronze nos 200 metros livres; Nuno Silva conquistou a terceira posição nos 400 metros estilos; e Filipe Gomes o bronze nos 50 metros bruços. As estafetas de 4×100 e 4×200 metros livres foram também medalha de bronze.

A equipa, constituída por Vítor Belo Clara, Nuno Silva, Filipe Gomes, Nuno Santos, João Aniceto, Micael Denisov e Sebastien Villascis e Ricardo Faria, é toda ela constituída por atletas formados no Bairro dos Anjos. “É um princípio meu e o clube entende da mesma forma. Se temos os atletas e eles são formados no clube, então vamos trabalhar com eles e fazer o melhor possível. Só assim faz sentido fazer formação”, assume o treinador.

E apesar da vitória não se pense que é tempo de baixar a guarda. É que os atletas, na segunda-feira a seguir à conquista, voltaram a entrar na água.

Sebastien Villascis, atleta do BA, em representação do Instituto Politécnico de Leiria estabeleceu dois recordes pessoais nas provas de 50 metros livres e 50 metros mariposa, no Campeonato Nacional Universitário de piscina curta, na passada quarta-feira, dia 8, em Matosinhos.

No próximo dia 17, Micael Denisov vai participar no zonal de juvenis, em Tomar, e Nuno Silva e Vítor Belo preparam a fase de apuramento para o Campeonato da Europa, que acontece dia 23 de dezembro, no Jamor. Antes, no dia 16, tem início o Mundial de piscina curta, em Abu Dhabi, e Filipe Gomes, atleta do Malawi vai participar na prova mundial.

“É ainda um calendário exigentes para metade destes atletas e por isso eles vão continuar a treinar, pelo menos mais umas semanas”, conclui João Paulo Fróis.

(Atualização no dia 9 de dezembro, com as declarações de João Paulo Fróis).

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.