Assinar


Mercado

Pandemia adia encontro sobre investimento da diáspora marcado para Fátima

O PNAID tem o objetivo de promover o investimento da diáspora, bem como as exportações e a internacionalização das empresas

O Governo adiou para 2022 os Encontros do Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora (PNAID), inicialmente marcados para entre esta quinta-feira, dia 9, e sábado, em Fátima, por causa da evolução da pandemia, anunciou o executivo.

“A evolução da situação epidemiológica em Portugal e na União Europeia apresenta uma trajetória ascendente, tendo o Governo decretado o estado de calamidade a partir de 1 de dezembro. Adicionalmente, a preocupação com a nova variante Covid-19 obriga a maiores precauções na entrada de pessoas no país. Neste enquadramento, e por prudência, comunica-se o adiamento dos Encontros PNAID 2021 para data a anunciar oportunamente”, refere o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), em comunicado.

Os Encontros PNAID, que dão continuidade aos Encontros de Investidores da Diáspora, são uma iniciativa conjunta do gabinete da secretária de Estado das Comunidades Portuguesas e da Secretaria de Estado da Valorização do Interior.

O PNAID tem o objetivo de promover o investimento da diáspora, em especial no interior do país, bem como as exportações e a internacionalização das empresas nacionais através da diáspora.

Esta seria a primeira realização daqueles encontros desde que foi aprovado o PNAID, em 2020, e seriam coorganizados pela Câmara Municipal de Ourém e pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, em parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro.

O programa é uma iniciativa de valorização das comunidades portuguesas que promove o investimento da diáspora, em especial no interior do país.

“Investimento da Diáspora, um investimento com marca” seria o lema dos encontros que tinham como finalidade “fornecer, a empresários portugueses no estrangeiro, interessados em investir em Portugal, informação sobre áreas-chave das políticas públicas do país”.

Outro propósito dos encontros seria proporcionar aos participantes informação sobre oportunidades e medidas de apoio ao investimento em Portugal e à internacionalização através da diáspora, bem como facultar-lhes um espaço de apresentação dos seus projetos, interação, conhecimento, partilha de experiências e boas práticas, parcerias e oportunidades de negócios.

Os promotores consideram o evento um “catalisador do estímulo ao empreendedorismo para a concretização de novas iniciativas empresariais em território nacional, consubstanciando-se numa poderosa força económica, social e cultural com uma contribuição determinante para aumentar a coesão nacional e a competitividade da economia portuguesa”.

Previstas estavam sessões temáticas paralelas, que abordariam temas como agricultura e agroalimentar, indústria, produção avançada, turismo e sustentabilidade, mar e economia azul, digital e saúde, ideias e negócios nos territórios do interior.

“Será um ótimo momento para conhecer as prioridades políticas, as oportunidades de investimento, empresas estrangeiras interessadas em importar produtos portugueses, empresas nacionais interessadas em exportar e outros investidores da diáspora”, lê-se no documento de apresentação do evento.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.