Assinar


Caldas da Rainha

Urgência do Hospital de Caldas da Rainha ampliada e remodelada após três anos de obras

Investimento rondou dois milhões de euros e contemplou a criação de uma nova sala de observação, entre outras melhorias

Estão concluídas as obras de ampliação e remodelação do serviço de Urgência Geral e Pediátrica do Hospital de Caldas da Rainha, após três anos de obras.

A empreitada, que contemplou a criação de uma segunda sala de observação, com capacidade para 20 camas, e um espaço complementar para 12 cadeirões, “para evitar que os doentes permaneçam nos corredores”, arrancou em janeiro de 2018.

Segundo fonte do Centro Hospitalar do Oeste (CHO), a Urgência nunca fechou enquanto decorreram os trabalhos, estando a Urgência Pediátrica a funcionar em pleno com imagem renovada.

Quanto à entrada em funcionamento da nova sala de observação, deverá acontecer a curto prazo, faltando equipar o espaço, referiu a mesma fonte.

O investimento, que rondou dois milhões de euros, incluiu ainda o alargamento da sala de espera da Urgência de adultos, e, na Urgência Pediátrica, a ampliação da sala de observação para seis camas, uma nova sala de espera e um balcão de admissão de doentes em idade pediátrica, explica o CHO em comunicado.

A obra sofreu algumas alterações e vários contratempos, tendo estado inclusivamente suspensa devido à pandemia em março de 2020, no momento em que “estava a iniciar-se a última fase da obra” no interior do Serviço de Urgência, espaço que acabou por ser afeto à Área Dedicada a Doentes com Suspeita de Infeção Respiratória Aguda no Serviço de Urgência (ADR-SU), explica a administração hospitalar.

“A suspensão era inevitável para evitar constrangimentos graves no funcionamento do Serviço de Urgência, um dos mais afetados pela situação pandémica, bem como houve a preocupação de proteger os profissionais da empresa de construção do risco de contágio”, acrescenta.

A urgência pediátrica também foi objeto de remodelação e ampliação CHO

Aos dois milhões de euros de investimento, comparticipados em 1, 8 milhões ao abrigo do FEDER, somam-se 525 mil euros em equipamentos informático e básico.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.