Assinar


Desporto

Plano de segurança da Allianz Cup reforçado para responder ao pico da pandemia

A entrada só será admitida a quem possua bilhete, mas também o teste antigénio, teste PCR ou autoteste feitos, certificado de recuperação ou certificado de administração da terceira dose da vacina há pelo menos 14 dias. 

Joaquim Dâmaso

O plano de segurança preparado para a Allianz Cup, de futebol, foi reforçado tendo em conta o pico da pandemia de covid-19, afirmou hoje o delegado de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral.

“Não podemos esquecer que estamos no pico da pandemia. Essa situação foi sempre equacionada na elaboração do nosso plano de contingências que achamos que é extremamente rigoroso”, disse Rui Passadouro, sobre o plano de segurança para os jogos da Taça da Liga, apresentado hoje no Estádio Municipal de Leiria, onde a competição vai decorrer entre 25 e 29 de janeiro.

Segundo a autoridade de saúde, com o conjunto de medidas preparadas é “quase” garantido que “não entram pessoas no recinto desportivo que estejam infetadas”.

“Penso que as pessoas podem participar em segurança”, disse Rui Passadouro.

As preocupações com a saúde pública somam-se ao habitual plano de segurança da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, que em Leiria estará montado na “carga máxima”, explicou a diretora executiva. 

De acordo com Helena Pires, o dispositivo envolve PSP, GNR, segurança privada, emergência médica e autoridades de saúde pública de Leiria, para reunir “condições de segurança para ter uns jogos e uma festa em família”.

Antes da chegada ao Estádio de Leiria vão ser criados nos dias dos jogos dois perímetros de segurança, sendo que o primeiro abrirá às 15 horas para verificação inicial de acesso.

“É conveniente que venham com tempo, testes feitos, para o atendimento acontecer com maior celeridade e para não haver constrangimentos ao acesso”, afirmou Helena Pires, referindo-se aos espetadores.

A entrada só será admitida a quem possua o título de ingresso, mas também tenha o teste antigénio, teste PCR ou autoteste feitos, certificado de recuperação ou certificado de administração da terceira dose da vacina há pelo menos 14 dias. 

“Não vamos fazer validação de autotestes aqui, para evitar aglomerados”, avisou Helena Pires, pedindo ao público para chegar com antecedência.

A Liga vai dispor nas bilheteiras e ao longo do perímetro sanitário de pontos de troca das pulseiras que permitem o acesso para o perímetro, revelou.

“Portanto, é conveniente que venham com tempo, testes feitos, para ser entregue a pulseira e não haver constrangimentos ao acesso sanitário”, completou.

Depois, num outro perímetro de segurança, será confirmado o direito à admissão ao estádio, abrindo as portas às 17h30.

A lotação do recinto estará limitada a 20 mil pessoas (dos 24 mil lugares disponíveis) e, segundo a diretora executiva da Liga, neste momento, as vendas indicam meia lotação para o Benfica – Boavista, enquanto para o Sporting – Santa Clara a procura reflete “um bocadinho menos do que isso”.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar