Assinar


Leiria

Projeto da Região de Leiria baixa 29% da retenção no 1.º ciclo

As taxas de retenção efetiva das 48 crianças em risco de perder o ano no 1.º período e das 38 crianças em risco no 3.º período, apenas 27 ficaram efetivamente retidas, o que representa um decréscimo de 29%.

O Plano Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PICIE) desenvolvido em 2020/2021 nas escolas do 1.º ciclo do ensino básico dos concelhos da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) baixou em 29% a retenção das crianças.

Segundo a CIMRL, uma equipa de investigadores da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, da Universidade de Coimbra, elaborou o relatório técnico de avaliação dos resultados da atividade LEIRIA TEAM “Sim, (juntos) somos mais capazes!”.

Na análise realizada, concluiu-se que as taxas de retenção efetiva das 48 crianças em risco de perder o ano no 1.º período e das 38 crianças em risco no 3.º período, apenas 27 ficaram efetivamente retidas, o que representa um decréscimo de 29%.

As conclusões das ações desenvolvidas ao longo do ano letivo passado, no âmbito do Plano Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PICIE), foram apresentadas hoje em Leiria.

Este resultado ultrapassa em 04% a meta estabelecida em sede de candidatura pela CIMRL (redução de 25% da taxa de retenção e desistência nos anos curriculares abrangidos), informou a comunidade intermunicipal.

As intervenções das equipas multidisciplinares, em nove dos dez municípios da CIMRL, e a monitorização dos resultados alcançados no PICIE, revelam também uma redução de 9,36% do número de insuficientes no 1.º ciclo.

No entanto, na área curricular da Matemática “constatou-se um aumento do número de menções de insuficiente, que se julga relacionado com o confinamento das crianças e o processo de aulas ‘online'”, motivados pela pandemia de covid-19.

Implementado desde 2017 pela CIMRL, em parceria com os dez municípios associados, o PICIE define-se como um programa integrado de intervenção comunitária, orientado para prevenir o insucesso escolar e promover a qualidade das aprendizagens das crianças a frequentarem o ensino pré-escolar e o 1.º ciclo.

O objetivo é a “definição de um modelo de monitorização da intervenção, assente em indicadores quantitativos e qualitativos, que evidenciem o alcance das metas de implementação e os resultados previstos”, referiu a CIMRL.

Esse modelo irá permitir a criação de um projeto científico baseado em “pressupostos sólidos de investigação e útil para toda a comunidade educativa envolvida”.

O PICIE mobiliza cerca de 13.131 crianças e alunos dos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós.

O projeto inclui um leque mais vasto de atividades, nas áreas da educação para a saúde e bem-estar, educação para o património e multiculturalidade, inclusão social, igualdade de género, ciências, ambiente, artes, entre outras.

A rede de equipas multidisciplinares é constituída por 37 técnicos nas áreas da psicologia, terapia da fala, mediação, nutrição, psicomotricidade, educação e sociologia, que trabalham de forma integrada e articulada, quer entre si, quer com outras equipas já constituídas nas escolas públicas dos 21 agrupamentos que fazem parte da CIMRL.

O PICIE resulta de uma candidatura da CIMRL ao Programa Operacional Centro 2020, e tem o apoio do Fundo Social Europeu.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar