Assinar
Música

Swing jazz é a aventura que dá ritmo ao mais recente disco das Ninfas do Lis

Coro feminino mostra “Sing & Swing” em concerto no Sport Operário Marinhense este sábado, 26 de fevereiro.

Ninfas do Lis lançam em 2022 o quarto disco da carreira. As vozes foram gravadas num único dia no Teatro Miguel Franco

O coro feminino Ninfas do Lis lança no sábado, dia 26 de fevereiro, na Marinha Grande, um novo disco intitulado “Sing & Swing” onde, acompanhado por um quarteto jazz, são interpretados alguns dos mais importantes ‘standards’ do swing.

Gravado durante a pandemia, o quarto álbum do grupo envolveu 27 coralistas – entre os 14 e os 44 anos – e quatro músicos, implicando um esforço significativo, conta o maestro Mário Nascimento. 

“Em julho de 2020 gravámos o instrumental no Aurastudio, em Paços Brandão, e em julho de 2021, num só dia, gravámos o coro no Teatro Miguel Franco, em Leiria. Testámos todos e gravámos sem máscara. Foi uma aventura, também na edição. Quem ouvir vai sentir que estão uns com os outros, ainda que, na realidade, isso não tenha acontecido”, frisa.

O novo disco é “completamente virado para o jazz”, com uma particularidade: as Ninfas do Lis dão vida a uma missa jazz, composta por Bob Chilcott.

“Adaptei a parte do piano a quarteto jazz e creio que resultou muito bem”, diz compositor, que incluiu, entre os andamentos, “secções de improvisação, que não estão previstas na peça original – mas isto é jazz, tem de ter improvisação!”.

O coro e o quarteto gravaram ainda vários ‘standards’ de swing jazz, como “Take the ‘A’ train”, de Billy Strayhorn, “Mood indigo”, de Duke Ellington e Barney Bigard, ou “All the things you are”, de Jerome Kern, além de versões ‘jazzy’ de “Solta-se um beijo”, da Ala dos Namorados, e de “As peúgas do senhor Reitor”, tema composto pelo próprio Mário Nascimento.

Fundado em 2003, o coro Ninfas do Lis teve agora “a primeira experiência jazz significativa”: 

“É um estilo de música muito importante, tão importante como a música clássica, e é música atual e de grande qualidade. Foi importantíssimo mergulhar nesse repertório”, sublinha o maestro. 

A propósito disso, Mário Nascimento recorda que é raro em Portugal juntar “no estilo jazzístico um coro acompanhado por um ensemble jazz”. “Há poucas coisas assim editadas em Portugal e pela forma como ficaram os arranjos, a forma como o coro cantou e como o quarteto se entregou a este projeto, acho que foi uma conquista vencida”, conclui. 

“Sing & Swing” é o quarto disco das Ninfas do Lis e é lançado no concerto de apresentação no Auditório José Vareda, no Sport Operário Marinhense, na Marinha Grande, a partir das 21h30 de sábado. Com o coro, vão tocar Francisco Nascimento (saxofone), Hugo Lobo (piano), Gonçalo Naia (contrabaixo) e Rafael Santos (bateria).

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.