Assinar


Leiria

Mercado Municipal de Leiria reabre em abril após requalificação de 3,7 milhões de euros

Campanha de três anos de obras renovou edifício com mais de 30 anos.

Os trabalhos do Mercado Municipal de Leiria incluem a cobertura, o revestimento exterior dos edifícios e a envolvente exterior Fernando Rodrigues

O Mercado Municipal de Leiria vai reabrir em abril, três anos após a obra ter sido consignada e depois de um investimento de 3,7 milhões de euros, foi hoje anunciado.

Na reunião do executivo municipal, o presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, salientou que o investimento “recupera um edifício com mais de 30 anos que estava abandonado em termos de investimento e manutenção”.

“O mercado, finalmente, vai entrar em funcionamento, juntamente com Startup Leiria”, acrescentou.

Segundo informação enviada à agência Lusa, a consignação dos trabalhos do Mercado Municipal, que contempla os dois imóveis que “constituem o conjunto edificado” desta estrutura, foi feita em abril de 2019, por cerca de 3,4 milhões de euros, acrescidos de IVA, tendo um prazo de execução de um ano.

O valor total da obra, “considerando o valor contratual inicial ao qual se somam trabalhos complementares e se subtraem os trabalhos a menos”, é na ordem de 3,7 milhões de euros, mais IVA.

“O aumento do prazo de obra deveu-se à descoberta de factos de degradação estrutural que não foram detetados durante a fase de elaboração de projeto e cuja gravidade só foi possível apurar após o início das obras, com a retirada de rebocos que escondiam o verdadeiro estado de degradação da estrutura”, explicou a autarquia.

A Câmara esclareceu ainda que, “após apuramento do grau de degradação através de estudos invasivos levados a cabo pelo Politécnico de Leiria, foi necessária a elaboração de um projeto de reforço complexo e delicado, e o respetivo procedimento para a sua execução”.

“A suspensão de trabalhos nesta zona (cave) e nas áreas contíguas que pudessem representar um acréscimo de esforço sobre a estrutura fez com que várias frentes de trabalho apenas pudessem ser retomadas após a execução do reforço estrutural, o que reverteu num maior espaço temporal de obra”.

Quanto ao custo, o município explicou que o aumento “deve-se, principalmente, ao reforço estrutural adicional do edifício, uma vez que os trabalhos complementares ocorridos fora deste âmbito são normais numa obra desta dimensão e estão perfeitamente balizados nas percentagens normais e legais previstas no Código de Contratação Pública para os mesmos”.

Os trabalhos do Mercado Municipal de Leiria incluem a cobertura, o revestimento exterior dos edifícios e a envolvente exterior, com o “estabelecimento de condições para viabilização da utilização da fachada Norte do edifício Poente e definição de espaço de esplanada na fachada Sul desse mesmo edifício”, além da “beneficiação de condições de acessibilidade para pessoas de mobilidade condicionada”.

No edifício Poente vai ficar instalada a Startup Leiria, o Mercado Municipal e o espaço de produtores, além de áreas de aprovisionamento, estacionamento, balneários, arrecadações e espaços técnicos. Já o edifício Nascente vai ser colocado à concessão.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.