Assinar
Cultura

Licínio Florêncio revela memórias sobrepostas em livro de fotografia

“Memórias revisitadas” é o mais recente lançamento da editora Minimalista, a partir do trabalho fotográfico de Frankie Boy, pseudónimo do designer de Leiria.

“Memórias revisitadas” é apresentado no sábado, dia 23 de abril, às 16 horas no mimo - Museu da Imagem em Movimento de Leiria

Entre a gaguez que marcou uma infância tímida e solitária à ousadia recente da fotografia de nu (sob o pseudónimo Frankie Boy) se cose uma vida. É esse subtexto autobiográfico que Licínio Florêncio partilha em “Memórias revisitadas”, uma nova edição da Minimalista apresentada este sábado no mimo – Museu da Imagem em Movimento.

Designer gráfico, Licínio tem assinado a arte dos livros da editora com ligações a Leiria. Desafiado pelo escritor e editor Paulo Kellerman a lançar, ele próprio, um volume pela Minimalista, recuperou o gosto antigo pela fotografia analógica – “ainda sou do tempo de revelar na escola e no IPJ” – e lançou-se na experiência da dupla exposição.

“Resolvi fotografar grande parte dos locais onde vivi a minha infância”, dias tolhidos pela vergonha da gaguez, passados em casa dos avôs e dos pais na Abadia, nas Cortes, e no Reguengo do Fetal, na Batalha.

Por lá, captou as aldeias, as fontes, o lavadouro, o café ou a taberna e guardou os rolos. Depois, aleatoriamente, pegou nessas películas e fotografou por cima corpos nus, uma vertente que tem trabalhado enquanto Frankie Boy. “Tentei recriar dois espaços temporais da minha vida”, sobrepondo à revisitação das memórias de criança o tempo atual, em que tudo o que afligiu em novo “já lá vai; hoje sou uma pessoa completamente diferente”.

Assim nasceu “um resultado incerto”, estampado nas páginas do primeiro livro de fotografia da Minimalista. “Queria tornar a coisa o mais incerta possível, como quando fotografávamos com analógico”, conta Licínio Florêncio. Biografia à parte, ele prefere mesmo é que o leitor crie uma interpretação própria a partir das imagens sobrepostas das suas “Memórias revisitadas”.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados