Assinar
Leiria

Águas do Centro Litoral investe 2 milhões na ETAR do Coimbrão

Além da requalificação da estrutura e equipamentos, a empreitada prevê o aumento da capacidade de armazenamento e encaminhamento de lamas.

A empresa Águas do Centro Litoral (AdCL) vai investir dois milhões de euros (ME) na requalificação e novos equipamentos da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) do Coimbrão, concelho de Leiria.

A empreitada visa dotar a “infraestrutura com sistemas robustos e adequados à agressividade do meio ambiente, quer do próprio processo de tratamento, quer da envolvente externa de proximidade marítima”, refere uma nota de imprensa da AdCL.

“A proposta de intervenção a nível arquitetónico passa principalmente pela colocação de novo revestimento das fachadas e coberturas das infraestruturas do parque de lamas e da obra de entrada, suportado por estrutura metálica também nova”, acrescenta.

A obra de remodelação da entrada e parque de lamas da ETAR, consignada na segunda-feira à empresa Oliveiras, prevê ainda o aumento da capacidade de armazenamento e encaminhamento de lamas.

Segundo a AdCL, com o tempo de utilização, as intempéries a que a infraestrutura está sujeita e, considerando as características do efluente que chega à ETAR diariamente, o desgaste é “intenso”, pelo que as “melhorias significativas” previstas vão traduzir-se “numa maior resiliência de processos, maior capacidade de armazenamento do parque de lamas e um melhor encaminhamento das mesmas”.

Na ETAR do Coimbrão é produzida mais de uma tonelada de lamas por ano, levando à produção de 2,5 MW/ ano de energia, informa a AdCL.

A infraestrutura, que recebe e trata os efluentes provenientes dos concelhos de Leiria, Batalha, Marinha Grande e Porto de Mós, foi inaugurada em janeiro de 2008, tendo o investimento rondado 15,6 milhões de euros, cofinanciados em 85% pelo Fundo de Coesão da União Europeia, informa a AdCL.

Está preparada para receber os efluentes domésticos de cerca de 250 mil habitantes-equivalentes e tratar cerca de 37.800 metros cúbicos/dia (m3) de efluentes líquidos, dos quais 77% são domésticos e 16% provenientes de indústrias.

Está, também, preparada para receber 280 m3 diários de afluente suinícola bruto, que vai diretamente para a fase sólida da ETAR.

Segundo a empresa, a ETAR dispõe de uma unidade de cogeração, onde através da utilização do biogás produzido na digestão anaeróbia das lamas, produz calor necessário ao processo de tratamento das lamas e eletricidade que injeta na rede elétrica pública.

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.