Assinar
Cultura Exclusivo

Leiria Medieval: Quatro dias para festejar e refletir as importantes cortes de 1438

A decisão que levou ao suplício de Fernando, o Infante Santo, está ligada a Leiria. De hoje, 21 de julho, até domingo, essa página da história de Portugal inspira uma recheada edição de Leiria Medieval.

O ator João Augusto é D. Duarte, o Eloquente, neste regresso de Leiria Medieval Visite Leiria

1438. Uma epidemia alastra por Portugal. Será sarampo ou sarampelho? Peste Negra não é, que novo surto só surgirá anos depois. Todo o país sofre com a mortandade. Todo? Não, há uma vila que resiste: Leiria. Seja pela posição geográfica, pelos ventos ou por outro acaso, escapou a esta peste. Por isso, foi escolhida para acolher as importantes cortes de 1438, onde se discutiu a dramática proposta marroquina: a liberdade do infante D. Fernando – aprisionado em 1437 na derrota de Tânger – pela entrega da preciosa e simbólica praça de Ceuta.

Em Leiria reúnem-se cortes para decidir o futuro do príncipe. Terão sido dias agitados no povoado, esses que agora se recordam, de hoje até domingo, no regresso ao original de Leiria Medieval. Quase meio milhar de participantes dão vida à recriação com música, teatro, animação, oficinas, saídas de campo, exibição de animais e conversas no Castelo, centro de Leiria, Moinho do Papel, Largo de S. Pedro, Igreja da Misericórdia e também no Jardim da Vala Real, onde se fixam acampamento, cavalos e há torneio para animar as hostes.

“Estas cortes são muitíssimo importantes”, realça Luís Mourão, que assume a investigação histórica desta organização do município de Leiria. Em 1438, no Paço do Castelo, o rei D. Duarte ouve os representantes. Sente-se o ressentimento generalizado contra D. Henrique, que ignorou o plano de D. Duarte para Tânger, conduzindo ao fracasso que mergulhou o país na depressão: pela derrota, pela crise económica e pela prisão do irmão do rei.

Luís Mourão mergulhou na crónica de Rui de Pina e nas investigações de Saul António Gomes, Maria Helena da Cruz Coelho e de outros medievalistas para “desenhar” este Leiria Medieval em que se fala de um episódio importante da história de Portugal cuja ligação a Leiria é pouco conhecida.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados