Assinar
Desporto

Ouro e bronze em mundial de futsal universitário têm representantes da região

Competição decorreu este fim de semana em Guimarães e terminou com a vitória da seleção feminina e o terceiro lugar da equipa masculina.

Beatriz Santos fez a sua formação no Alvorninha e no CR Golpilheira. Joga agora no Sporting.

As seleções nacionais de futsal já nos habituaram a grandes conquistas e o passado fim de semana não foi exceção.

A seleção nacional feminina de futsal universitário sagrou-se campeã mundial, ao derrotar o Brasil nas grandes penalidades, por 5-4, depois do 5-5 no tempo regulamentar.

A competição realizou-se no passado fim de semana, em Guimarães, com a final a ser disputada ontem, domingo.

Num jogo com final épico, as jogadoras nacionais perdiam por 5-1 ao intervalo, mas transfiguraram-se na etapa complementar e igualaram, com dois golos no último minuto, o último dos quais a 1,1 segundos do fim: sem golos no prolongamento, no desempate por penáltis, a guarda-redes Ana Pinto tornou-se a heroína, ao defender o último remate, de Mayara Almeida.

Há no entanto outra heroína entre as atletas nacionais. Beatriz Santos, de 19 anos, atual jogadora do Sporting também festejou a conquista do título. A atleta é natural de Caldas da Rainha e fez o seu percurso desportivo na ADF Alvorninha e no CR Golpilheira. Está há duas épocas no clube leonino. No mundial, foi autora de 6 dos 43 golos da seleção nacional.

Já a seleção masculina terminou no terceiro lugar, após vencer a República Checa por 5-3. Entre os convocados há dois jogadores da região de Leiria. O ala Tiago Pereira, de 23 anos, é jogador do CCDR Burinhosa, com formação no GD Martingança e CB Pataias, e aluno do Politécnico de Leiria, enquanto o pivô João Costa, de 22 anos, natural de Peniche, joga atualmente na Un. Torreense, fez a sua formação no PAC, Olho Marinho e Atouguiense.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.