Assinar
Dança Exclusivo

Dez bailarinos deixam Leiria para se profissionalizarem no estrangeiro

Vão para a Europa, África ou Estados Unidos da América. Uma dezena de bailarinos do Conservatório Internacional Annarella Sanchez parte para o profissionalismo, “algo que em Portugal nunca aconteceu”, orgulha-se a responsável da escola.

Conservatório Internacional Annarella Sanchez

Ontem dançavam em Leiria, amanhã vão estar na Ópera de Varna, da Bulgária, no Pilsen Ballet, da República Checa, no Cape Town City Ballet, da África do Sul, ou no Mystic Ballet, dos Estados Unidos da América. É o maior êxodo de sempre de bailarinos formados no Conservatório Internacional de Ballet e Dança Annarella Sanchez, com nove bailarinas e um bailarino a abraçarem carreiras profissionais internacionais. O que é que isto significa? “Que agora estamos oficialmente a competir com as grandes escolas do mundo, como o Royal Ballet e outras”, afirma Annarella Sanchez, orgulhosa pelo sucesso, “algo que em Portugal nunca aconteceu”.

A responsável pelo Conservatório admite que este era o objetivo do projeto iniciado há cinco anos. “Já havia bailarinos que tinham saído, mas agora é que o trabalho está realmente concretizado e estamos a ver resultados”.

Deixar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos relacionados

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.

Artigos de opinião relacionados