Assinar Edições Digitais

O meu diário: DELETE

A ONGD Atlas à qual estou ligada organizou no passado sábado um arraial solidário que foi um verdadeiro sucesso.

Helena Vasconcelos, médica hml.vasconcelos@gmail.com

A ONGD Atlas à qual estou ligada organizou no passado sábado um arraial solidário que foi um verdadeiro sucesso. Para dar lucro começámos há uns meses uma saga de pedinchice sem limites. A estratégia é fácil: pedimos tudo para depois vender tudo e obter lucro. Para isso usamos os nossos contactos e sensibilidades.

Reunião de voluntários para preparar a festa: uma das voluntárias sugere o Continente outra a Sodicel, outra a Aldeia dos Sabores, a Unicer etc. O Intermarché das Olhalvas vem à baila em conversa e alguém avisa que quem manda nessa casa não dá nada. Já se pediu no ano passado e nada. Insiste a voluntaria que o gerente é menino para colaborar e segue o mail oficial com os pedidos dos ingredientes para cozinhar a paelha e mais umas coisitas. Umas semanas passadas como nada foi dito vai a voluntariosa da voluntaria saber o que se passa e planta-se à porta exigindo uma resposta. O gerente confrontado com o encosto fica sem saber o que dizer. E diz a verdade que não recebeu, que não viu. A voluntária afirma e reafirma que o pedido seguiu para o endereço certo. Chama-se a secretária para esclarecer. Sim, sim, veio sim senhor, mas foi imediatamente para o lixo porque tem ordens expressas da patroa para deletar tudo quanto é pedido de associações. Assim sem mais. É pedido, lixo. Não se mostra, não se considera, apenas se elimina sem critério. A razia é democrática se for pedido a patroa exige, que se mande para o lixo. A nossa voluntaria ensina que o não também é resposta e ensina como se deve escrever um mail polido a mandar as associações ir pedir para outro lado. Quantos nãos educados recebemos de empresas.! Temos maturidade para aguentar um não sem birras nem relatos no jornal.

Mas isto não seria história se não acabasse bem. Perante a indignação e a tristeza da nossa voluntária uma das funcionárias resolve liderar o processo. Não se zanguem mandem o mail para nós que nós compramos e assim foi . Os funcionários do Intermarché das Olhalvas juntaram-se e compraram tudinho o que lhes pedimos. Nunca duvidem do poder dos mais pobres e nunca achem que não precisam de ninguém. Quanto menos se espera estamos a estender a mão a quem deletamos.

(texto publicado a 27 de junho de 2013)