observatório dos lusodescendentes

“Fala-se dos emigrantes, mas não dos filhos deles”

Em entrevista ao REGIÃO DE LEIRIA, Emmanuelle Afonso, presidente do Observatório dos Lusodescendentes, fala do esquecimento a que os filhos dos emigrantes portugueses têm sido votados. E sublinha que há muito trabalho a fazer junto de um público que, até à terceira geração, pode chegar aos 35 milhões de pessoas.

Pergunta da semana

Concorda com a colocação de pavimento betuminoso no circuito Polis, nas margens do rio Lis?

Responder agora

“Fala-se dos emigrantes, mas não dos filhos deles”

Em entrevista ao REGIÃO DE LEIRIA, Emmanuelle Afonso, presidente do Observatório dos Lusodescendentes, fala do esquecimento a que os filhos dos emigrantes portugueses têm sido votados. E sublinha que há muito trabalho a fazer junto de um público que, até à terceira geração, pode chegar aos 35 milhões de pessoas.

Subscreva!

Newsletters RL

Saber mais

Ao subscrever está a indicar que leu e compreendeu a nossa Política de Privacidade e Termos de uso.