Um barco da pesca do arrasto encontrou hoje no mar ao largo da costa da Lourinhã um corpo que deverá ser de um dos três pescadores desaparecidos na zona desde 18 de fevereiro, disse o comandante da Capitania de Peniche.

“Um arrastão recuperou um corpo hoje de manhã a sul da praia da Areia Branca [Lourinhã] que pode ser de um dos pescadores, afirmou à Lusa o comandante da Capitania de Peniche, Luís Patrocínio Tomás.

Contudo, adiantou o responsável, o “corpo não dá para ser identificado” e foi reencaminhado para o Instituto de Medicina Legal de Torres Vedras, a fim de serem efetuadas perícias que permitam identificar o cadáver.

O comandante disse que, após melhoria do estado do mar, as autoridades marítimas retomaram as buscas e localizaram a embarcação que naufragou, a cinco milhas a Oeste da praia da Consolação (Peniche) e a uma profundidade de 58 metros.

“Foram feitas buscas e foi encontrada a embarcação mas não estava lá qualquer corpo”, disse o comandante da Capitania de Peniche, após terem sido efetuadas operações de mergulho.

As buscas prosseguem hoje e envolvem o navio hidrográfico “Andrómeda”, equipado com um sonar e uma câmara de mergulho com controlo remoto, e a corveta “João Roby” com uma equipa de cinco mergulhadores especializados em mergulho profundo.

A embarcação “Fábio e João” naufragou a 18 de fevereiro, tendo a bordo quatro pescadores, entre os 40 e os 55 anos e residentes em Ribamar, no concelho da Lourinhã.

O corpo de um dos quatro pescadores foi encontrado a 26 de fevereiro também por um barco da pesca do arrasto, continuando os outros três desaparecidos.