Assinar Edições Digitais
Mercado

Governador defende licenças individuais para resolver problema das suiniculturas

O governador civil de Leiria defende que a emissão de licenças individuais aos empresários pode ser uma “solução transitória” para resolver a deposição de efluentes suinícolas.

O governador civil de Leiria, Paiva de Carvalho, defendeu hoje que a emissão de licenças individuais aos empresários pode ser uma “solução transitória” para resolver a deposição de efluentes suinícolas em solos agrícolas.

Paiva de Carvalho

No final de uma reunião com suinicultores que decorreu ontem à tarde em Leiria, Paiva de Carvalho disse à Agência Lusa que esta solução, que classificou como “excecional”, poderia temporariamente pôr termo à ausência de alternativas para a deposição de efluentes com que se debatem neste momento os suinicultores.

A Administração da Região Hidrográfica do Centro indeferiu o mês passado a licença de utilização dos recursos hídricos para descarga de águas residuais à Recilis, entidade criada para resolver o problema dos efluentes suinícolas na bacia do rio Lis.

A Recilis, empresa responsável pela construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas (ETES) no concelho de Leiria, alega que a licença se reporta igualmente a descargas em solos agrícolas, pelo que os suinicultores dizem não ter soluções para os efluentes.

Paiva de Carvalho acrescentou que aquela medida poderia também ser acompanhada pela possibilidade de entrega individual do efluente na estação de tratamento de águas residuais (ETAR) Norte, assim como do eventual aumento da capacidade desta infra-estrutura.

“Há uma vontade evidente destes empresários em resolver o problema dos efluentes suinícolas de forma legal”, afirmou o responsável, adiantando que em caso de emissão de licenças individuais deve haver uma “agilização” do processo.

O governador civil de Leiria, que prometeu levar o assunto à tutela, frisou que esta solução seria temporária, realçando a importância da construção da ETES na resolução do problema dos efluentes suinícolas na bacia hidrográfica do rio Lis.

Carlos Dinis, um dos suinicultores presentes no encontro, declarou à Agência Lusa que os empresários manifestaram preocupação “por não ter locais onde depositar efluentes”, salientando que as respetivas explorações “estão no limite”.

O empresário reiterou que os protestos dos suinicultores estão suspensos, pelo menos até quinta feira quando está agendada uma nova reunião com o governador civil.