Assinar Edições Digitais
Sociedade

Urgência do Hospital de Leiria tem novo modelo de atendimento

O Serviço de Urgência Geral do Hospital de Santo André, em Leiria, que funciona desde quinta-feira em instalações provisórias, nas traseiras do edifício, adoptou um novo modelo de atendimento.

O Serviço de Urgência Geral do Hospital de Santo André, em Leiria, que funciona desde quinta-feira em instalações provisórias, nas traseiras do edifício, adoptou um novo modelo de atendimento.

» Quem recorrer à Urgência Geral do Hospital de Leiria, deve agora contornar o edifício. Os novos blocos de atendimento situam-se na torre Poente, junto ao parque de estacionamento que serve a Consulta Externa, e ali permanecerão cerca de um ano enquanto decorrerem as obras de requalificação do serviço no corpo central da unidade.
» As ambulâncias de transporte de doentes têm um corredor privilegiado para dar a volta o edifício. Uma entrada com rampa foi pensada para permitir o acesso às macas. Os restantes doentes entram pela porta situada mais à direita.
» Os doentes emergentes (cor vermelha) são atendidos de imediato. Uma sala, com capacidade para três macas, permitem um socorro mais rápido junto à zona de estacionamento de ambulâncias.
» As novas instalações contemplam duas salas de espera. Na primeira, os doentes efectuam a respectiva inscrição antes de passarem para a zona de triagem, onde foram contemplados dois gabinetes de atendimento.
» Após a triagem, os doentes são encaminhadas para áreas específicas identificadas por cores, de acordo com o grau de urgência. No corredor, foram “pintadas” linhas para uma melhor orientação e projectadas zonas de espera.
Com capacidade para acolher 202 pessoas em simultâneo, a nova urgência dispõe de 52 boxes para macas, 37 cadeirões reclináveis além de 113 cadeiras.
» O projecto definiu ainda uma área orto-trauma (cor roxa) para tratamento de ferimentos ou pequenas cirurgias, uma zona de isolamento para doentes infecto-contagiosos, um gabinete de psiquiatria e outro para observação de doentes.
» Na área verde/azul, são atendidos os casos pouco urgentes. Cada sala dispõe de boxes individuais, separadas com cortinas, onde podem ser instaladas camas ou cadeirões. “Bancadas” móveis substituem as bancadas fixas de modo a melhorar a prestação de cuidados aos doentes.
» Por representarem cerca de 50% dos atendimentos, os doentes urgentes (cor amarela) são distribuídos por duas salas. Sempre que for possível, serão separados os doentes do sexo feminino do sexo masculino, de modo a garantir maior privacidade. Nas futuras instalações, porém, haverá apenas uma sala de cor amarela.
» A área laranja destina-se a doentes urgentes e as boxes são um pouco maiores. A exemplo das outras salas, disporá de uma equipa própria garantindo melhor vigilância e acompanhamento dos doentes. Todo o espaço está ainda equipado com ar condicionado.
A ligação da nova urgência ao resto do edifício está assegurada com um rápido acesso à zona de Raio X.

?

Apesar de a área agora ocupada (cerca de mil metros quadrados) ser inferior à do serviço que se encontra agora em obras (1.500 m2), Hélder Roque, presidente do conselho de administração do hospital, avança com uma certeza: “Dispõe seguramente de melhores condições”.

Eliminar a “confusão” e “mistura” de doentes, garantir um atendimento mais rápido e eficaz aos utentes e criar melhores condições de trabalho para os profissionais de saúde são objectivos deste sistema que irá manter-se após a remodelação do SUG.

Martine Rainho
martine.rainho@regiaodeleiria.pt
Sérgio Claro (fotografia)