Do hospital à praça Rodrigues Lobo, da biblioteca aos teatros da cidade, marionetas invadem a cidade de Leiria a partir de hoje, sábado, 6 de Novembro, até dia 28 com um festival que inclui espetáculos, ateliês e exposições.

“Marionetas em novembro”, que já vai na sétima edição, promete este ano atrair também adultos, para “desmistificar a ideia de que os bonecos são apenas para crianças”, disse hoje à agência Lusa o vice presidente da Câmara Municipal de Leiria.

Gonçalo Lopes referiu que o festival inclui “espetáculos dirigidos a público adulto, o que o torna mais eclético, mais abrangente, possibilitando que chegue a um maior número de pessoas”.

“Além de espetáculos, temos exposições e ateliês, permitindo a abertura do festival a outro público”, continuou o autarca, sublinhando que o “programa diversificado” permite também “mostrar as diferentes técnicas de manipulação de figuras”.

Segundo o vereador responsável pelo pelouro da Cultura, o público pode “conhecer e apreciar os diversos tipos de execuções técnicas das marionetas” e não “apenas as histórias” que os vários espetáculos apresentam.

O festival começa na manhã de sábado no serviço de Pediatria do Hospital de Santo André, com “A Floresta dos Ti’s”, que se repete à tarde na Praça Rodrigues Lobo e nas Galerias Jardins do Lis. Ainda neste dia, no Fórum Fnac, Rui Sousa apresenta “Puppetologia”.

No domingo, sobe ao palco do Teatro Miguel Franco “Estórias do Dia e da Noite”, pelo Limite Zero.

Já a 13 de novembro, o grupo Circolando mostra “Paisagens em trânsito”, enquanto no dia 20 é a vez do espetáculo “Conta-me Histórias”, pelo Macapi – Movimento Animação Cultural Arte Popular Ibérica, e, no dia seguinte, chega a Leiria “Agakuke e Mamadu o Marabu” pela Lua Cheia Teatro para Todos, espetáculos que se dividem pelos teatros José Lúcio da Silva e Miguel Franco e biblioteca municipal.

“Marionetas em novembro” encerra a 28 de novembro no Teatro Miguel Franco com “Lenheiras de Cuca Macuca” pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora.

Dois ateliês, sobre teatro de sombras e marionetas de meia, e duas exposições, “Pouco mais de ½ dúzia de ‘bonecos’” e “Gigantones”, completam o programa do festival.

A primeira inclui marionetas de fio e máscaras, de Delphim Miranda, e a segunda de bonecos construídos por Manuel Dias que integram a coleção do projeto GigaBombos do Imaginário.

A Câmara Municipal estima que entre espetadores e participantes, 1000 a 1200 pessoas marquem presença neste evento, orçado em 4400 euros.