O Bloco de Esquerda (BE) arranca esta semana com várias iniciativas públicas sobre os fundamentos da moção de censura ao Governo, designadas “Eles roubam, tu pagas – Nós censuramos”, com Francisco Louçã marcar presença em comícios em Leiria e no Porto.

Francisco Louçã

Até 10 de Março, data da discussão e votação da moção de censura ao Governo, o BE tem agendadas por todo o país diversas iniciativas com a presença de dirigentes e com intervenções sempre “à volta dos fundamentos da moção de censura: precariedade, leis laborais e emprego”, disse à agência Lusa fonte do partido.

A par destas sessões públicas, os bloquistas vão também publicar um jornal sobre os fundamentos da moção de censura – 350 mil exemplares, a maior tiragem de sempre em iniciativas do partido – e lançar um novo ‘outdoor’: “Com este Governo não vamos a lado nenhum – Precariedade não é futuro”.

Na quarta-feira à noite, o coordenador do BE, Francisco Louçã, e o deputado Heitor de Sousa vão estar em Leiria, a partir das 21h30, para um comício no Ateneu Desportivo.

Quinta-feira, o líder parlamentar, José Manuel Pureza, estará em Coimbra, para nova sessão, e na sexta Francisco Louçã estará na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação do Porto.

A 1 de março, Francisco Louçã estará presente noutra sessão “Eles roubam, tu pagas – Nós censuramos”, na Escola Secundária Sá de Miranda, em Braga, e dia 4 na junta de freguesia de Santa Maria da Feira.

Este conjunto de iniciativas do BE culmina com um comício a 9 de janeiro – dia da tomada de posse de Cavaco Silva para o segundo mandato como Presidente da República e na véspera da discussão da moção no Parlamento – na Casa do Alentejo, em Lisboa.